Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.712,13
    +357,88 (+1,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Petrolífera estatal Pemex acerta troca de dívida com fornecedores por US$ 2 bilhões

A estatal Petróleos Mexicanos (Pemex) chegou a um acordo com fornecedores e empreiteiros para a troca de passivos comerciais por títulos de dívida em torno de 2 bilhões de dólares, informou a empresa nesta terça-feira (31).

"A operação irá cobrir passivos no valor de cerca de 2 bilhões de dólares", destacou a Pemex em um comunicado.

Os novos devedores da estatal mexicana “que assim decidirem” poderão obter liquidez por meio de oferta dos títulos no mercado secundário, em data acordada com a Pemex. Uma instituição financeira atuará como intermediária, acrescentou a petrolífera estatal.

Participam do mecanismo fornecedores com valores superiores a cinco milhões de dólares em faturas, que puderam entrar "voluntariamente" em um programa de reconhecimento de obrigações e pagamento, explicou a empresa.

Os interessados assinaram nesta terça-feira o acordo que permite a troca de faturas comerciais por notas globais da Pemex, com taxa de 8,75% e vencimento em 2029.

As faturas elegíveis foram as pendentes de pagamento denominadas em dólares e com vencimento em 31 de maio deste ano, detalhou a Pemex.

A empresa garante que o mecanismo "teve grande aceitação por parte dos fornecedores e empreiteiros" e fez "um avanço na redução de seus passivos".

A petrolífera mexicana mantém uma pesada dívida financeira que no final de 2021 era de 108 bilhões de dólares.

A Pemex precisa aumentar seus investimentos para reverter um declínio prolongado em sua produção de petróleo, que caiu de uma média de 3,4 milhões de barris por dia em 2004 para 1,7 milhão atualmente.

O governo do presidente Andrés Manuel López Obrador, que assumiu o cargo em 2018, procurou aliviar as finanças da principal estatal mexicana, que considera um bastião da soberania nacional.

jla/sem/mr/ap

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos