Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.716,00
    -2.354,00 (-2,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.395,94
    -928,96 (-2,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,43
    -4,06 (-4,86%)
     
  • OURO

    1.651,70
    -29,40 (-1,75%)
     
  • BTC-USD

    18.969,36
    -123,39 (-0,65%)
     
  • CMC Crypto 200

    434,61
    -9,92 (-2,23%)
     
  • S&P500

    3.693,23
    -64,76 (-1,72%)
     
  • DOW JONES

    29.590,41
    -486,29 (-1,62%)
     
  • FTSE

    7.018,60
    -140,92 (-1,97%)
     
  • HANG SENG

    17.933,27
    -214,63 (-1,18%)
     
  • NIKKEI

    27.153,83
    -159,27 (-0,58%)
     
  • NASDAQ

    11.388,00
    -177,50 (-1,53%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0976
    +0,0649 (+1,29%)
     

Petrobras tem 10 dias para explicar possível desabastecimento

·1 min de leitura
Depois de falas sobre privatização do Presidente Jair Bolsonaro e do Ministro da Economia, Paulo Guedes, a Petrobras terá de dar explicações ao Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), órgão do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Os dois principais motivos são a possibilidade de dificuldade no fornecimento de combustível e à alta de preços. (REUTERS/Paulo Whitaker) (REUTERS)
  • Petrobras precisa explicar os motivos para um possível desabastecimento em novembro

  • Presidente e Ministro da Economia falaram em privatização da estatal

  • Preços para as refinarias foram aumentados na última segunda-feira (25)

Depois de falas sobre privatização do Presidente Jair Bolsonaro e do Ministro da Economia, Paulo Guedes, a Petrobras terá de dar explicações ao Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), órgão do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Os dois principais motivos são a possibilidade de dificuldade no fornecimento de combustível e à alta de preços.

A Transpetro, subsidiária da estatal para transporte e logística, também foi notificada. A decisão foi tomada depois de uma série de notícias sobre a dificuldade de distribuição de combustíveis por parte da Petrobras, com o aumento da demanda em novembro. No final de setembro, o DPDC notificou as principais distribuidoras de combustíveis (Vibra e Ipiranga) sobre o mesmo tema.

Preços sofreram aumentos na segunda-feira (25)

Em comunicado, o Ministério da Justiça informou que “busca coletar subsídios relacionados aos impactos ao longo da cadeia de fornecimento de combustíveis, especialmente diesel e gasolina, a partir das recentes notícias veiculadas sobre possíveis dificuldades de abastecimento de combustíveis por parte da Petrobras junto aos distribuidores, tendo em vista o aumento da demanda no próximo mês".

"As respostas da Petrobras e da Transpetro, juntamente com as respostas das distribuidoras notificadas em setembro, devem fornecer subsídios para a melhor compreensão da dinâmica dos mercados de combustíveis, de modo a serem realizadas sugestões para seu aperfeiçoamento sob a perspectiva da proteção e defesa do consumidor alinhada ao desenvolvimento econômico e tecnológico", informou o DPDC.

Na segunda-feira (25), a Petrobras anunciou que repassaria um novo aumento no preço do diesel e da gasolina para as refinarias, o que deve aumentar os valores para o consumidor na bomba.