Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +412,93 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    55.033,40
    -5.995,12 (-9,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,67 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,61 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,67 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6943
    -0,0268 (-0,40%)
     

Petrobras reajusta preços de gasolina e diesel a partir de sexta-feira

Bruno Rosa
·2 minuto de leitura

RIO - A Petrobras vai reajustar os valores dos combustíveis a paetir de amanhã, sexta-feira. De acordo com a estatal, o preço médio do litro da gasolina será de R$2,48, uma alta de 10,2%. No ano, o avanço chega a 34,7%. É o quarto reajuste em 2021.

O diesel também subiu. O preço nas refinarias será de R$ 2,58 por litro. É alta de 15,1%. Em seu terceiro reajuste anual, o diesel acumula avanço de 27,7%.

Leia também:

Segundo a estatal, o "alinhamento dos preços ao mercado internacional é fundamental para garantir que o mercado brasileiro siga sendo suprido sem riscos de desabastecimento pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras: distribuidores, importadores e outros refinadores, além da Petrobras".

Em nota, a estatal disse ainda que o "equilíbrio competitivo é responsável pelas reduções de preços quando a oferta cresce no mercado internacional, como ocorrido ao longo de 2020".

A estatal explicou em nota que os preços que são praticados e suas variações para mais ou para menos estão associadas ao mercado internacional e à taxa de câmbio. Lembrou ainda que esses reajustes têm influência limitada sobre os preços percebidos pelos consumidores finais. Isso porque os preços da gasolina e do diesel vendidos na bomba do posto revendedor são diferentes do valor cobrado nas refinarias da Petrobras.

No último dia 12 de fevereiro, o presidente Jair Bolsonaro enviou ao Congresso um projeto que altera a cobrança do ICMS sobre combustíveis, em meio à pressão de caminhoneiros por conta dos aumentos constantes no preço dos combustíveis. O projeto do governo estabelece um valor fixo e único de ICMS dos combustíveis para todos os estados.

Mas, do outro lado, os estados afirmam que a alta nos preços não tem relação com a tributação estadual e atribuem o problema à politica de preços da Petrobras.

Recentemente, veio a público que a companhia havia alterado a periodicidade de acompanhamento dos preços dos combustíveis no mercado internacional. Pela mudança, a estatal elevou de três para até 12 meses o período para compensar a defasagem.