Mercado fechado
  • BOVESPA

    101.915,45
    -898,58 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.698,72
    -97,58 (-0,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,94
    -3,01 (-4,30%)
     
  • OURO

    1.775,80
    -9,40 (-0,53%)
     
  • BTC-USD

    57.238,18
    -1.120,73 (-1,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.456,40
    +13,62 (+0,94%)
     
  • S&P500

    4.567,00
    -88,27 (-1,90%)
     
  • DOW JONES

    34.483,72
    -652,22 (-1,86%)
     
  • FTSE

    7.059,45
    -50,50 (-0,71%)
     
  • HANG SENG

    23.475,26
    -376,98 (-1,58%)
     
  • NIKKEI

    27.821,76
    -462,16 (-1,63%)
     
  • NASDAQ

    16.225,00
    -165,75 (-1,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0661 (+1,04%)
     

Petrobras oferece R$558,2 mi por área em Porto de Santos que previa lance mínimo de R$1

·2 min de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - A Petrobras resolveu nesta sexta-feira problemas logísticos que tinha na movimentação de combustíveis no Porto de Santos com a vitória no leilão de uma área no terminal pela qual ofereceu outorga de 558,25 milhões de reais, em um contrato de 25 anos.

A empresa foi a única proponente no leilão da área STS08A no Porto de Santos, que tinha o valor de 1 real definido em edital como preço mínimo. O investimento previsto é de 678 milhões de reais, com a construção de dois novos berços de atracação.

Representantes do governo presentes no leilão afirmaram que o certame realizado nesta sexta-feira foi o maior já realizado no setor portuário do país nos últimos 20 anos. Limitada capacidade de movimentação de granéis líquidos é um dos principais gargalos do Porto de Santos.

A área vizinha à STS08A, STS08, não teve interessados e o Ministério de Infraestrutura afirmou que ela será reavaliada para ser colocada em leilão futuramente.

Segundo a gerente executiva de desenvolvimento de negócios de logística da Petrobras Andrea Damiani, presente no leilão, até agora a empresa vinha tendo que trabalhar na área por meio de renovação de contratos a cada seis meses.

"Isso encerra um capítulo muito complexo...São quatro refinarias conectadas a este terminal em Santos e este leilão era muito esperado. Temos agora 25 anos de estabilidade jurídica", afirmou a executiva após o leilão.

Questionada sobre o valor da oferta da Petrobras ante o valor mínimo definido no edital, Damiani negou que o preço ofertado, que poderá ser pago ao longo de cinco anos, tenha sido excessivo.

"Pagamos um valor adequado para a garantia da operação da Petrobras, é um valor sustentável", afirmou a executiva durante entrevista à imprensa.

Ela explicou que a operação de quatro refinarias da empresa no Estado de São Paulo dependem do terminal para escoamento de derivados, daí a importância atribuída pela companhia para a àrea leiloada.

"A Petrobras veio preparada para uma competição. Não tínhamos como saber antes quantas ofertas e os valores nos envelopes", disse Damiani.

Presente no leilão, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, afirmou que desde 2019 o país soma "quase 14 bilhões de reais em investimento contratado em terminais portuários" e reiterou que o governo trabalha com a perspectiva do leilão da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa) no primeiro trimestre de 2022.

O ministro disse ainda que, durante a ida da comitiva brasileira aos Emirados Árabes, a privatização do Porto de Santos foi o tema mais discutido pela pasta junto a potenciais interessados.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos