Mercado abrirá em 5 h 44 min
  • BOVESPA

    120.700,67
    +405,99 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.514,10
    +184,26 (+0,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,70
    +0,24 (+0,38%)
     
  • OURO

    1.764,10
    -2,70 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    61.504,60
    -1.842,16 (-2,91%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.362,31
    -18,63 (-1,35%)
     
  • S&P500

    4.170,42
    +45,76 (+1,11%)
     
  • DOW JONES

    34.035,99
    +305,10 (+0,90%)
     
  • FTSE

    7.003,08
    +19,58 (+0,28%)
     
  • HANG SENG

    28.952,37
    +159,23 (+0,55%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    13.986,25
    -27,75 (-0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7152
    -0,0059 (-0,09%)
     

Petrobras lançará R$328 mi no balanço após acordo com Eletrobras e Amazonas Energia

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - A Petrobras informou nesta quarta-feira que assinou acordo judicial com a Eletrobras e a Amazonas Energia para a recuperação de um crédito no valor aproximado de 436 milhões de reais, e disse ainda que o acerto terá impacto positivo de 328 milhões de reais em seu balanço do segundo trimestre.

Segundo comunicado da Petrobras, o acordo envolve o recebimento de valores litigados pelas controladas indiretas da petroleira (Breitener Tambaqui e Breitener Jaraqui) em face da Amazonas Energia S/A (devedora) e da Eletrobras (responsável solidária).

Também faz parte do acordo o pagamento pela Amazonas Energia à Petrobras de valores vencidos remanescentes de faturamentos oriundos de contratos térmicos.

Sete ações judiciais ficarão suspensas até a liquidação integral dos créditos negociados, disse a Petrobras.

O valor será pago em 60 parcelas, calculadas pelo sistema de amortização constante, atualizadas com base em 124,75% do CDI, de 18 de janeiro de 2021 até sua integral liquidação.

"A Petrobras entende que o presente acordo antecipará o recebimento do crédito, reduzirá os custos associados à continuidade dessas disputas e encerrará as controvérsias associadas", afirmou.

A Petrobras detém 93,66% de participação na Breitener Energética S.A., sendo esta última controladora integral da Breitener Tambaqui e Breitener Jaraqui.

A Eletrobras, por sua vez, disse que os processos judiciais têm sua origem anterior à privatização e desverticalização da Amazonas Energia, "sendo certo que a participação da Eletrobras nos citados acordos judiciais não configura uma nova garantia em favor da devedora, mas sim o equacionamento de dívidas anteriores, executadas nos processos judiciais, em que a Eletrobras é parte dada sua condição de garantidora".

(Por Roberto Samora)