Mercado abrirá em 1 h 21 min
  • BOVESPA

    116.464,06
    -916,43 (-0,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.053,56
    -72,95 (-0,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,88
    +0,27 (+0,51%)
     
  • OURO

    1.844,80
    -6,10 (-0,33%)
     
  • BTC-USD

    31.360,33
    -369,07 (-1,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    629,91
    -10,01 (-1,56%)
     
  • S&P500

    3.849,62
    -5,74 (-0,15%)
     
  • DOW JONES

    30.937,04
    -22,96 (-0,07%)
     
  • FTSE

    6.633,55
    -20,46 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.297,53
    -93,73 (-0,32%)
     
  • NIKKEI

    28.635,21
    +89,03 (+0,31%)
     
  • NASDAQ

    13.546,00
    +60,50 (+0,45%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5096
    -0,0012 (-0,02%)
     

Petrobras já produz e vende gasolina em novo padrão que será obrigatório em 2022

Por Luciano Costa
·1 minuto de leitura
.

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - A Petrobras <PETR4.SA> já tem produzido em todas suas refinarias e comercializado junto a distribuidores gasolina com octanagem RON 93, que segundo regulamentação da ANP será obrigatória no Brasil apenas em 2022, disse a companhia em comunicado nesta quarta-feira.

"Ajustamos nossos processos de refino e estamos prontos para antecipar o padrão de qualidade previsto para 2022. Desta forma, garantimos a qualidade superior da gasolina produzida nas refinarias da Petrobras", disse a diretora de Refino e Gás Natural da Petrobras, Anelise Lara, em nota em separado, enviada a jornalistas.

A Petrobras defendeu que o novo padrão de gasolina tem maior eficiência, o que permitirá redução no consumo por quilômetro rodado, além de contribuir para melhor desempenho dos motores.

"O ganho de rendimento de 5%, em média, proporcionado pela nova gasolina compensará uma eventual diferença no preço da gasolina, porque o consumidor vai rodar mais quilômetros por litro", destacou a companhia no comunicado de imprensa.

A nova especificação também dificulta fraudes na gasolina, combatendo o uso de solventes e naftas de baixa qualidade como para adulteração do produto vendido ao consumidor, acrescentou a estatal.