Mercado fechado

Petrobras estima pico de investimento de US$ 20 bilhões em 2023

Francisco Góes e Rodrigo Polito

Em apresentação do plano estratégico a investidores em Nova York, estatal ainformou ainda previsão de destinar 59% dos recursos em exploração para o pré-sal O pico de investimentos da Petrobras no horizonte do plano estratégico 2020-2024 será em 2023, com aportes de US$ 20 bilhões, afirmou nesta quarta-feira a diretora financeira e de relações com investidores da companhia, Andrea Almeida. Segundo ela, dos US$ 20 bilhões, US$ 13 bilhões serão destinados a exploração e produção.

Para 2020, a meta é investir US$ 12 bilhões, sendo US$ 9 bilhões em exploração e produção. No ano seguinte, serão investidos US$ 13 bilhões, dos quais US$ 10 bilhões em exploração e produção.

O plano todo contempla investimentos de US$ 75,7 bilhões em quatro anos. Segundo ela, é um plano realista.

Do total, US$ 64 bilhões serão destinados para investimentos em exploração e produção, dos quais 59% destinados para projetos no pré-sal. A companhia também prevê destinar US$ 20 bilhões para projetos na Bacia de Campos, no mesmo período.

Os dados fazem parte de apresentação sobre o detalhamento do plano estratégico 2020-2024 que executivos da Petrobras fazem a investidores na Bolsa de Valores de Nova York. Segundo Almeida, a companhia trabalha com um cenário de caixa mínimo de US$ 6,6 bilhões.

A estatal prevê “breakeven” de produção de petróleo de US$ 16 por barril em 2020 e trabalha com custo de extração no pré-sal de US$ 6 por barril de óleo equivalente (BOE) entre 2020 e 2024.

A empresa também projeta gastar US$ 6 bilhões com projetos de descomissionamento em andamento. Os projetos são relativos a 18 plataformas e dutos submarinos e poços offshore.

Almeida também informou que a Petrobras pode colocar à venda uma parcela do campo de Marlim, na Bacia de Campos. A companhia sinalizou que a venda de ativos no pós-sal faz parte de oportunidades adicionais do plano de desinvestimentos da empresa, de US$ 20 bilhões a US$ 30 bilhões entre 2020 e 2024.

Produção

A Petrobras pode ter alcançando recorde mensal de produção de óleo e gás de 3,1 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe/dia) em novembro, afirmou o diretor de exploração e produção (E&P) da empresa, Carlos Alberto Pereira de Oliveira. Segundo ele, a companhia ainda está fechando os números de novembro, recebendo dados de outros operadores e de projetos no exterior.

No início de novembro, a companhia também atingiu recorde de produção diária, de 3,2 milhões de boe.

Segundo ele, a produção de 2020 estará em linha com a produção de 2019. A produção média prevista para 2020 é de 2,7 milhões de boe/dia.

Ele disse que o ritmo continuará crescendo dentro da produção total da empresa. A participação do pré-sal no total passará dos atuais 63% para 66%, em 2024. Considerando a produção por regime regulatório, 77% é relativa a projetos sob concessão, 22% na cessão onerosa e 1% sob o modelo de partilha.

Petrobras prevê distribuir R$ 34 bilhões em dividendos até 2024