Mercado abrirá em 9 h 38 min
  • BOVESPA

    120.700,67
    +405,99 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.514,10
    +184,26 (+0,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,41
    -0,05 (-0,08%)
     
  • OURO

    1.762,60
    -4,20 (-0,24%)
     
  • BTC-USD

    63.096,07
    +324,99 (+0,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,67
    +17,73 (+1,28%)
     
  • S&P500

    4.170,42
    +45,76 (+1,11%)
     
  • DOW JONES

    34.035,99
    +305,10 (+0,90%)
     
  • FTSE

    6.983,50
    +43,92 (+0,63%)
     
  • HANG SENG

    28.781,89
    -11,25 (-0,04%)
     
  • NIKKEI

    29.682,66
    +39,97 (+0,13%)
     
  • NASDAQ

    13.966,50
    -47,50 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7109
    -0,0102 (-0,15%)
     

Petrobras diz que mandatos de diretores serão estendidos até eleição de novo presidente

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - A Petrobras informou na noite de sexta-feira que o mandato da diretoria executiva será estendido automaticamente até que o conselho de administração da empresa delibere sobre a eleição de novo presidente e diretores executivos.

A nota lembrou que os mandatos do presidente e dos diretores seriam encerrados em 20 de março.

Mas a assembleia de acionistas para escolher os novos conselheiros, incluindo o indicado para ser o novo presidente-executivo, Joaquim Silva e Luna, só ocorrerá em 12 de abril.

O presidente-executivo da estatal integra o conselho e é eleito pelos seus pares.

Com a extensão dos mandatos, deve ser resolvido um hiato entre a saída do atual presidente e a chegada do novo, que ocorreria devido aos trâmites para Luna ser eleito.

Fontes com conhecimento dos trâmites chegaram a dizer à Reuters que a estatal teria que ser comandada por um presidente interino, com o fim do mandado do presidente antes da assembleia.

Além de Luna, o governo indicou novos conselheiros para a Petrobras, uma vez que boa parte dos integrantes do colegiado manifestou sua intenção de deixar o grupo, juntamente com a substituição de Castello Branco, após Bolsonaro indicar um novo presidente-executivo por descontentamento sobre a política de preços de combustíveis da estatal.

(Por Roberto Samora)