Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.123,85
    -3.459,16 (-3,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.925,52
    -673,01 (-1,30%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,49
    -0,80 (-1,06%)
     
  • OURO

    1.734,40
    -3,10 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    41.620,63
    -1.591,21 (-3,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.033,22
    -23,93 (-2,26%)
     
  • S&P500

    4.352,63
    -90,48 (-2,04%)
     
  • DOW JONES

    34.299,99
    -569,38 (-1,63%)
     
  • FTSE

    7.028,10
    -35,30 (-0,50%)
     
  • HANG SENG

    24.500,39
    +291,61 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.183,96
    -56,10 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.776,75
    +12,00 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3421
    -0,0005 (-0,01%)
     

Petrobras contribui nas discussões com governo sobre fundo de estabilização de preços

·1 minuto de leitura
Logo da empresa de petróleo, Petrobras, no Rio de Janeiro, Brasil.

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Petrobras tem contribuído com o governo nas discussões sobre um fundo de estabilização dos preços de combustíveis, apesar de ter a avaliação de que as cotações da empresa devem seguir parâmetros de mercado, disse o diretor de Comercialização e Logística da estatal, Cláudio Mastella.

Ao responder pergunta de analista sobre o tema nesta quinta-feira, ele ressaltou que a Petrobras avalia que preços de derivados desalinhados às cotações internacionais podem comprometer o abastecimento, reafirmando ainda que a companhia evita repassar volatilidade do petróleo aos consumidores.

"Nós somos sensíveis sobre o impacto social dos nossos preços na sociedade", disse ele, lembrando que a companhia busca não repassar a volatidade de câmbio e de valores do mercado internacional.

"Tendo essa percepção e consciência de impacto, a gente contribui sim nas discussões no âmbito do Ministério de Minas e Energia quanto a eventuais programas, como, por exemplo, o fundo de estabilização de preços", declarou.

Ele disse que é importante lembrar que os preços percebidos pelo consumidor final estão distantes dos praticados pela Petrobras, pois na bomba os valores consideram tributos, custos operacionais e logísticos dos distribuidores e revendedores.

Segundo o executivo, os preços do diesel da Petrobras representam hoje, por exemplo, 52% do valor na bomba.

(Por Marta Nogueira e Gram Slattery, no Rio de Janeiro; e Roberto Samora em São Paulo)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos