Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.684,89
    -1.230,91 (-3,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Petrobras assina contrato de US$2,3 bi para 8ª unidade do campo de Búzios

·1 minuto de leitura
Edifício-sede da Petrobras, no Rio de Janeiro (RJ)

SÃO PAULO (Reuters) - A Petrobras informou nesta sexta-feira que assinou contrato com a joint venture formada pelas empresas Saipem e DSME no valor de 2,3 bilhões de dólares para fornecimento da plataforma P-79, oitava unidade a ser instalada no campo de Búzios, no pré-sal da Bacia de Santos.

Com capacidade de processamento de 180 mil barris de óleo por dia e 7,2 milhões de m3 de gás por dia, a plataforma será do tipo FPSO, unidade flutuante que produz, armazena e transfere petróleo.

A entrega da plataforma para Búzios, o maior campo de petróleo em águas profundas do mundo, está prevista para 2025, disse a Petrobras.

O fornecimento do FPSO será resultado da contratação na modalidade EPC (engenharia, suprimento e construção) e da estratégia da Petrobras de desenvolver novos projetos de plataformas próprias, incorporando as lições aprendidas nos FPSOs já instalados no pré-sal, disse a companhia em nota.

O contrato prevê o atendimento ao conteúdo local de 25%, requisito previsto em edital e compromissado com a ANP para o campo de Búzios.

O projeto prevê a interligação de 14 poços ao FPSO, sendo oito produtores e seis injetores, por meio de infraestrutura submarina composta por dutos rígidos de produção e de injeção e dutos flexíveis de serviços.

Atualmente, há quatro unidades em operação em Búzios, que respondem por mais de 20% da produção total da Petrobras. A quinta, sexta e sétima plataformas previstas para o campo estão em construção, e a nona unidade (P-80) está em processo de contratação, disse a empresa.

(Por Roberto Samora)