Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    17.043,17
    +48,25 (+0,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Petrobras anuncia redução no preço do gás de cozinha

Petrobras anunciou nova redução de R$ 2,60 no preço de venda do botijão de gás para as distribuidoras
Petrobras anunciou nova redução de R$ 2,60 no preço de venda do botijão de gás para as distribuidoras
  • Botijão fica, em média, R$ 2,60 mais barato para as distribuidoras;

  • Redução no preço de gás de cozinha é de 5,28%.

  • Preços podem demorar a cair para o consumidor final.

A Petrobras comunicou nesta quinta-feira (17) uma redução de 5,28% no preço de venda do gás de cozinha (GLP) para as distribuidoras. A medida, que já está em vigor, representa uma queda de R$ 2,60 no custo do botijão de 13 kg.

Mais detalhadamente, a estatal reduziu o preço de venda de R$ 3,7842/kg para R$ 3,5842/kg. Para as distribuidoras, o botijão de 13 kg sai, em média, por 46,59. O último reajuste da Petrobras ocorreu em 22 de setembro, quando foi anunciado um corte de 6% no preço de venda do gás liquefeito de petróleo (GLP).

Em nota, a petroleira afirmou que a redução acontece conforme a política de preços da empresa “e é coerente com a prática de preços da Petrobras, que busca o equilíbrio dos seus preços com o mercado, mas sem o repasse para os preços internos da volatilidade conjuntural das cotações e da taxa de câmbio”.

A redução no preço de venda Petrobras, no entanto, não resulta necessariamente no mesmo barateamento para o consumidor final. Isto porque as distribuidoras devem recalcular o preço final do produto, levando em conta custos como frete e pessoal, o estoque e a margem de lucro.

Em diminuições passadas realizadas pela Petrobras, muitas vezes os preços não baixaram logo nas semanas seguintes, chegando inclusive a subir em alguns casos, uma vez que o comerciante tenta recuperar os lucros perdidos.

Gás mais caro do mundo

De acordo com um levantamento da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), os preços do gás de cozinha praticados no Brasil são mais caros do que no restante do mundo, quando comparados aos valores no mercado internacional.

Segundo o estudo, realizado em outubro, o preço do botijão no exterior custa, em média, R$ 39. Com a nova redução, o valor no Brasil fica em torno dos R$ 46. Para o consumidor final, no entanto, o preço final fica por volta dos R$ 110.