Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.767,45
    -497,51 (-0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.129,88
    -185,81 (-0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,08
    +0,02 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.779,50
    +2,10 (+0,12%)
     
  • BTC-USD

    33.760,95
    +1.088,99 (+3,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    804,66
    +10,33 (+1,30%)
     
  • S&P500

    4.246,44
    +21,65 (+0,51%)
     
  • DOW JONES

    33.945,58
    +68,61 (+0,20%)
     
  • FTSE

    7.090,01
    +27,72 (+0,39%)
     
  • HANG SENG

    28.457,41
    +147,65 (+0,52%)
     
  • NIKKEI

    28.922,36
    +38,23 (+0,13%)
     
  • NASDAQ

    14.283,25
    +25,00 (+0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9152
    -0,0046 (-0,08%)
     

Petrobras anuncia parada programada de plataforma de Mexilhão e gasoduto Rota 1

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - A Petrobras iniciará no próximo dia 15 de agosto uma parada programada de 30 dias para manutenção da plataforma de Mexilhão e do gasoduto Rota 1, que escoa o gás natural produzido pelo ativo e por outras plataformas na Bacia de Santos, informou a empresa nesta sexta-feira.

Segundo comunicado, a intervenção foi planejada com vários meses de antecedência, considerando a complexidade da operação e a necessidade de contratação de bens e serviços. A Petrobras disse ter comunicado a parada programada à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) em outubro de 2020.

"A parada possibilitará a manutenção preventiva e a realização de melhorias nas instalações, garantindo a continuidade e a segurança nas operações de escoamento e fornecimento de gás natural", afirmou a petroleira, acrescentando que a operação não pode ser adiada por visar à segurança operacional e ao cumprimento de prazos normativos.

Para mitigar os impactos ao fornecimento de gás natural, a Petrobras anunciou a ampliação da capacidade do Terminal de Regaseificação da Baía de Guanabara, de 20 milhões para 30 milhões de metros cúbicos por dia, além do reposicionamento de um navio regaseificador na Bahia.

Também haverá a negociação de um novo contrato interruptível de incremento temporário da importação de gás da Bolívia.

"Como medida adicional, a Petrobras irá conciliar a manutenção da plataforma de Mexilhão e do gasoduto Rota 1 às paradas programadas de usinas termelétricas próprias e de terceiros, reduzindo assim a demanda por gás natural dessas térmicas no período da parada e aumentando sua disponibilidade de geração no restante do período seco", afirmou a companhia.

A Petrobras disse ainda ter articulado o período de manutenção dos ativos com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) para reduzir os impactos ao setor, em momento em que o Brasil passa por uma crise hídrica e amplia a utilização de térmicas para geração de energia.

(Por Gabriel Araujo)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos