Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.812,87
    +105,11 (+0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.729,80
    -4,24 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,71
    +0,21 (+0,23%)
     
  • OURO

    1.769,80
    -1,40 (-0,08%)
     
  • BTC-USD

    22.816,58
    -628,57 (-2,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    541,63
    -16,11 (-2,89%)
     
  • S&P500

    4.283,74
    +9,70 (+0,23%)
     
  • DOW JONES

    33.999,04
    +18,72 (+0,06%)
     
  • FTSE

    7.541,85
    +26,10 (+0,35%)
     
  • HANG SENG

    19.763,91
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    29.010,73
    +68,59 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    13.505,00
    -18,25 (-0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2107
    -0,0031 (-0,06%)
     

Petrobras anuncia comercialidade de áreas em Sergipe-Alagoas; prevê produção em 2026

·1 min de leitura
Sede da Petrobras no Rio de Janeiro

SÃO PAULO (Reuters) - A Petrobras anunciou nesta quinta-feira que informou à reguladora ANP a declaração de comercialidade de áreas na Bacia Sergipe-Alagoas, e que projeta produção de uma unidade em 2026, segundo fato relevante.

A empresa afirmou que pretende desenvolver a produção de petróleo e gás na área em dois módulos, denominados de Sergipe Águas Profundas (SEAP) I e II, que preveem a instalação de duas plataformas do tipo FPSO.

Adicionalmente, a empresa destacou ainda que os módulos SEAP I e II incluem a implantação de um novo sistema de escoamento de gás ligando os dois módulos de produção à costa sergipana, com capacidade de 18 milhões de m³ por dia. O projeto está em fase de planejamento e com início de operação previsto para após 2026.

A primeira plataforma, prevista para atender o módulo SEAP I, será a P-81, com início de produção previsto para 2026, com capacidade de produzir 120 mil barris de óleo/condensado e escoar 8 milhões de m³ de gás por dia.

A segunda plataforma, prevista para atender o módulo SEAP II, está em fase de planejamento de contratação e tem seu início de produção previsto para após o horizonte do Plano Estratégico 2022-2026.

A Petrobras é operadora das concessões BM-SEAL-4A e BM-SEAL-10 com 100% de participação; na concessão BM-SEAL-11 com 60%, em parceria com a IBV Brasil Petróleo (40%); e na concessão BM-SEAL-4 com 75%, em parceria com a ONGC Campos (25%).

(Redação São Paulo)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos