Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.249,04
    -1.819,51 (-1,67%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.078,70
    +352,74 (+0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,79
    -0,22 (-0,31%)
     
  • OURO

    1.801,30
    +3,30 (+0,18%)
     
  • BTC-USD

    17.203,18
    +367,78 (+2,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    405,01
    +10,32 (+2,62%)
     
  • S&P500

    3.963,51
    +29,59 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    33.781,48
    +183,56 (+0,55%)
     
  • FTSE

    7.472,17
    -17,02 (-0,23%)
     
  • HANG SENG

    19.450,23
    +635,41 (+3,38%)
     
  • NIKKEI

    27.574,43
    -111,97 (-0,40%)
     
  • NASDAQ

    11.637,25
    +127,75 (+1,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4991
    +0,0327 (+0,60%)
     

Petrobras anuncia aumento do diesel para R$ 4,91; veja o que muda

Trucks refueling in petrol station, Transportation vehicle, Business logistics, delivery transport, cargo logistic concept. Freight shipping, at sunset background.
Reajuste passa a valer a partir de amanhã (10)

(Getty Images)

  • Petrobras anuncia aumento no preço do diesel;

  • Combustível vendido para as distribuidoras sai de R$ 4,51 para R$ 4,91, o litro;

  • Estatal destaca que não reajusta os preços há 60 dias.

A Petrobras anunciou, nesta segunda-feira (9), um aumento no preço do diesel para as distribuidoras. A partir de amanhã (10), a média do litro passa de R$ 4,51 para R$ 4,91. Os preços da gasolina e do gás de cozinha não serão alterados.

Segundo a estatal, o combustível não sofria reajuste há 60 dias, desde 11 de março. "Com esse movimento, a Petrobras segue outros fornecedores de combustíveis no Brasil que já promoveram ajustes nos seus preços de venda acompanhando os preços de mercado", aponta em nota divulgada pelo g1.

A petroleira ainda afirma que sua parcela no preço pago pelo consumidor passará de R$ 4,06, em média, para R$ 4,42 a cada litro vendido na bomba. O motivo é a mistura obrigatória de 90% de diesel A e 10% de biodiesel na composição do combustível vendido nos postos.

Gás de cozinha já aumentou R$ 45 em três anos

Não é porque não haverá um novo aumento no gás de cozinha que seu preço esteja estável. Desde que que a Petrobras passou a adotar o preço internacional para vender o GLP, o botijão usado por boa parte das famílias brasileiras já teve um aumento de 64%.

Em setembro de 2019, o gás de cozinha custava, em média, R$ 68,85. Atualmente esse preço é de R$ 113,11, uma alta de R$ 45. Enquanto hoje representa cerca de 9% do salário mínimo, em 2019 correspondia a 7%, segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP) e compilados pela CNN Brasil.

Mas não é só o GLP que tem sofrido uma escalada recorde. A gasolina comum subiu pela quarta semana consecutiva no Brasil e registrou o maior preço médio da série histórica do levantamento semanal de preços, iniciado em 2004.

Na última semana, o combustível foi verificado com o preço médio de R$ 7,29 no Brasil, aumento de cerca de um centavo em comparação com os R$ 7,28 da semana anterior.