Mercado abrirá em 5 h 46 min

Petrobras amplia queda e pressiona o Ibovespa

Ana Carolina Neira

Parte disso é efeito das perdas do petróleo, mais acentuadas após o pronunciamento de Donald Trump As ações da Petrobras acentuam a queda nesta tarde, acompanhando o recuo do preço do petróleo no mercado internacional. Às 16h20, as ON recuavam 2,15%, enquanto as PN cediam 1,11%.

O giro das duas também é intenso e já ultrapassam os volumes vistos durante todo o pregão de ontem: há pouco, as ON movimentavam um total de R$197,3 milhões, enquanto o fluxo das PN somava R$ 1,02 bilhão, o segundo papel mais negociado de todo o mercado à vista.

Parte disso é efeito das perdas do petróleo, mais acentuadas após o pronunciamento de Donald Trump nesta tarde. O tipo Brent caía 3,95%, enquanto o WTI recuava 4,66%, apagando todos os ganhos vistos neste ano.

Julio Bittencourt/Valor

Além disso, as ações ordinárias da estatal seguem especialmente pressionadas, a exemplo do que já tem sido visto nos últimos dias, por conta da saída do BNDES da empresa. Nesta semana foi oficializado que o banco de desenvolvimento poderá vender todos os seus papéis ordinários da Petrobras, o que pressiona o recuo dos papéis.

A oferta global, nas bolsas de Nova York e na B3, pode movimentar um total de até de R$ 23,5 bilhões. A conclusão do negócio pode ocorrer no início de fevereiro.

Na avaliação de Eduardo Prado, sócio da RJ Investimentos, o valor elevado é que causa tamanha movimentação do ativo, já castigado pela baixa do petróleo. "Esses R$ 23,5 bilhões representam um fluxo muito grande que o mercado tenta absorver jogando o preço do papel mais para baixo", explica. Em casos assim, é mais atraente para o investidor derrubar o preço de um ativo agora na intenção de recompra-lo por um valor mais baixo no futuro, quando as ações do BNDES foram ofertadas.

O Ibovespa cai 0,35%, aos 116.359 pontos.