Mercado fechado
  • BOVESPA

    119.564,44
    +1.852,44 (+1,57%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.399,80
    +71,60 (+0,15%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,09
    -0,54 (-0,82%)
     
  • OURO

    1.785,20
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    57.141,44
    +3.349,96 (+6,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.469,36
    +64,05 (+4,56%)
     
  • S&P500

    4.167,59
    +2,93 (+0,07%)
     
  • DOW JONES

    34.230,34
    +97,31 (+0,29%)
     
  • FTSE

    7.039,30
    +116,13 (+1,68%)
     
  • HANG SENG

    28.417,98
    -139,16 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    29.089,81
    +277,18 (+0,96%)
     
  • NASDAQ

    13.501,50
    +10,50 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4272
    +0,0003 (+0,00%)
     

Petróleo tem queda de 2% na semana por aumento de oferta e novos lockdowns

Laura Sanicola
·1 minuto de leitura
Bombeamento de petróleo na província de Neuquén, Argentina

Por Laura Sanicola

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo fecharam esta sexta-feira em queda, acumulando perdas de cerca de 2% na semana, à medida que aumentos de produção e a imposição de novos lockdowns em alguns países ofuscaram o otimismo com uma recuperação na demanda por combustíveis.

Os contratos futuros do petróleo Brent para junho recuaram 0,22 dólar, ou 0,4%, a 62,95 dólares por barril, enquanto o petróleo dos Estados Unidos (WTI) para maio cedeu 0,28 dólar, ou 0,5%, a 59,32 dólares o barril.

A pressão negativa sobre as cotações tem sido exercida pela decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e seus aliados, que formam o grupo conhecido como Opep+, de aumentar a oferta da commodity em 2 milhões de barris por dia (bpd) entre maio e julho.

"As perspectivas favoráveis para a demanda por petróleo estão sendo amplamente compensadas pelo já esperado aumento na produção da Opep+, que pode se aproximar dos 2 milhões de bpd ao final de julho", disse Jim Ritterbusch, presidente da Ritterbusch and Associates em Galena, Illinois.

Enquanto isso, negociações para que Irã e EUA retornem integralmente ao acordo nuclear de 2015 estão progredindo, disseram delegados nesta sexta-feira, embora autoridades iranianas expressem divergências com Washington sobre quais sanções aplicadas à República Islâmica deverão ser suspensas.

Segundo a companhia de inteligência de dados Kpler, um acordo potencialmente resultaria em uma oferta adicional de 2 milhões de bpd no mercado de petróleo.

(Reportagem adicional de Julia Payne, em Londres, e Florence Tan, em Cingapura)