Petróleo sobe antes de eleições nos Estados Unidos

Os contratos futuros de petróleo operam em alta, mas oscilam dentro de uma faixa estreita de preço enquanto os investidores aguardam as eleições presidenciais nos Estados Unidos. Segundo analistas do Commerzbank, uma vitória de Barack Obama provavelmente dará continuidade à "política monetária e fiscal super frouxa", o que é positivo para os preços do petróleo. Já uma vitória de Mitt Romney levaria a "uma política monetária e fiscal menos expansionista" e a um aumento na produção doméstica, o que pressionaria os preços da commodity.

Analistas do VTB Capital, por sua vez, destacaram que o mercado também está se preparando para a transição na liderança de uma década na China, que terá início na quinta-feira. O cenário macroeconômico global, que ajuda a determinar a demanda por petróleo, também é incerto. Mais estímulos são esperados na China, há dúvidas sobre o futuro da zona do euro e existe um quadro de melhora na economia dos EUA, observaram.

Com relação à oferta, ainda há incertezas em relação à produção no Mar do Norte, enquanto os operadores esperam sinais sobre uma volta do petróleo extraído do grande campo Buzzard ao mercado, segundo analistas da JBC Energy. Um prolongado período de manutenção eliminou cerca de 220 mil barris de petróleo por dia do mercado.

Enquanto isso, o Sudão do Sul afirmou que pode retomar as exportações da commodity nas próximas quatro semanas, depois de uma paralisação de um ano, o que poderá permitir que até 350 mil barris diários sejam colocados no mercado.

Mais tarde as atenções se voltarão para o relatório da API sobre estoques nos EUA, às 19h30 (de Brasília). O informe deverá mostrar qual foi o impacto do furacão Sandy na indústria de refino norte-americana.

Às 9h23 (de Brasília), o petróleo para dezembro subia 0,47% na Nymex, para US$ 86,05 por barril, e o brent para dezembro avançava 0,39% na ICE, para US$ 108,15 por barril. As informações são da Dow Jones.

Carregando...