Petróleo sobe 1% e fecha no nível mais alto em 4 meses

Os contratos futuros de petróleo negociados na New York Mercantile Exchange (Nymex) fecharam nesta quarta-feira no maior nível desde 18 de setembro do ano passado, após o Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) do governo norte-americano informar que os estoques de petróleo bruto dos Estados Unidos tiveram queda, ao invés da alta esperada pelo mercado.

O contrato de petróleo para fevereiro avançou US$ 0,96 (1,03%), encerrando a US$ 94,24 o barril. Na plataforma eletrônica ICE, o barril de petróleo do tipo Brent para fevereiro ganhou US$ 0,31 (0,28%) e fechou a US$ 110,61 o barril.

Os estoques de petróleo bruto dos EUA caíram 951 mil barris na semana encerrada em 11 de janeiro, para 360,302 milhões de barris, segundo o DoE. A alta surpreendeu o mercado. Analistas consultado pela Dow Jones previam alta de 2,1 milhões de barris.

Os estoques de gasolina, por sua vez, aumentaram 1,91 milhão de barris, para 234,995 milhões de barris, ante estimativa de alta de 2,3 milhões de barris. Os estoques de destilados subiram 1,686 milhão de barris, para 132,43 milhões de barris, ante estimativa de acréscimo de 1,3 milhão de barris.

Os estoques de petróleo em Cushing - ponto de entrega física dos contratos negociados na New York Mercantile Exchange (Nymex) - subiram 1,78 milhão de barris, atingindo o novo recorde de 51,862 milhões de barris.

Analistas afirmaram, no entanto, que os investidores ignoraram alguns elementos do relatório do DoE que não eram sugestivos para alta nos preços. Os preços do petróleo estão nos maiores níveis vistos em décadas para esta época do ano.

"Não é surpreendente que o preço do petróleo tenha avançado após o elemento de surpresa, mas um estoque pouco abaixo de 1 milhão de barris não deveria provocar uma diferença tão grande", disse Matt Smith, da Summit Energy. As informações são da Dow Jones.

Carregando...