Mercado fechará em 1 h 12 min
  • BOVESPA

    109.301,76
    +1.922,84 (+1,79%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.706,68
    +439,48 (+1,04%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,02
    +1,96 (+4,55%)
     
  • OURO

    1.801,10
    -36,70 (-2,00%)
     
  • BTC-USD

    19.218,04
    +766,08 (+4,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    379,92
    +10,17 (+2,75%)
     
  • S&P500

    3.632,00
    +54,41 (+1,52%)
     
  • DOW JONES

    30.064,77
    +473,50 (+1,60%)
     
  • FTSE

    6.432,17
    +98,33 (+1,55%)
     
  • HANG SENG

    26.588,20
    +102,00 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    26.165,59
    +638,22 (+2,50%)
     
  • NASDAQ

    12.038,50
    +133,25 (+1,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4040
    -0,0363 (-0,56%)
     

Petróleo reverte parte do tombo, impulsionado por dólar fraco na sessão

André Mizutani
·2 minuto de leitura

Avanço dos casos de covid-19 nos EUA, que motivou forte perda da véspera, continua no radar Os contratos futuros do petróleo operam em alta nesta terça-feira, recebendo suporte da desvalorização do dólar na sessão. Os ganhos de hoje revertem apenas uma pequena parte do tombo de ontem, em meio aos temores gerados pela intensificação da pandemia de covid-19 nos EUA e na Europa. Por volta de 9h45, o contrato do petróleo Brent para dezembro operava em alta de 0,27%, a US$ 40,57 por barril na ICE em Londres, enquanto o do WTI para o mesmo mês avançava 0,39%, a US$ 38,71 por barril na Bolsa de Mercadorias de Nova York. Ambas as referências do petróleo fecharam em queda de mais de 3% na sessão de ontem, nas mínimas de três semanas. Divulgação Os EUA reportaram 83.757 novos casos da doença na sexta-feira passada, anotando um novo recorde diário de contaminações no país. Embora o número tenha recuado um pouco no fim de semana, ele voltou a subir ontem, com o país reportando 66.784 novos casos, de acordo com dados do Johns Hopkins Centre. Apesar dos temores com a aceleração do número de casos de covid-19, Warren Patterson, estrategista-chefe de commodities do ING em Cingapura, diz que o dólar mais fraco está permitindo que o petróleo reverta uma pequena parte do tombo sofrido na sessão anterior, ajudado também pela interrupção de parte da produção de petróleo no Golfo do México devido à possível passagem do furacão Zeta pela região. O índice dólar DXY operava em queda de 0,16% nesta manhã, a 92,893 pontos, em dia de amplas perdas para a moeda americana. O petróleo, denominado em dólares, se torna mais barato para investidores estrangeiros quando a moeda americana recua, tornando-o mais atraente.