Mercado fechará em 47 mins
  • BOVESPA

    101.896,11
    +1.343,67 (+1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.592,40
    -76,85 (-0,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    40,63
    +0,60 (+1,50%)
     
  • OURO

    1.906,20
    -23,30 (-1,21%)
     
  • BTC-USD

    13.049,06
    +1.992,05 (+18,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    263,32
    +7,22 (+2,82%)
     
  • S&P500

    3.453,56
    +18,00 (+0,52%)
     
  • DOW JONES

    28.370,26
    +159,44 (+0,57%)
     
  • FTSE

    5.785,65
    +9,15 (+0,16%)
     
  • HANG SENG

    24.786,13
    +31,71 (+0,13%)
     
  • NIKKEI

    23.474,27
    -165,19 (-0,70%)
     
  • NASDAQ

    11.653,75
    -37,50 (-0,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5966
    -0,0534 (-0,80%)
     

Petróleo recupera parte do tombo, mas preocupação com demanda continua

Rafael Vazquez
·1 minuto de leitura

Furacão no Golfo do México perdeu força; impacto de aumento de casos de covid-19 em países desenvolvidos segue no radar O petróleo se recupera parcialmente da queda perto de 4% na sessão de ontem e opera em alta nesta terça-feira. O furacão Beta, que viaja pelo Golfo do México e ameaçava a produção de refinarias no sul dos EUA, perdeu força e foi rebaixado à classificação de tempestade tropical. Contudo, apesar do ensaio de recuperação, a commodity continua pressionada pelas preocupações com a demanda mais fraca e a possibilidade de novas quarentenas à medida que os casos de covid-19 aumentam em países desenvolvidos, diante das temperaturas mais baixas após o fim do verão. Por volta de 8h20, os preços dos contratos para novembro do Brent, a referência global, subiam 1,38%, a US$ 42,01 o barril, na ICE, em Londres. Os contratos para outubro do WTI, a referência americana, avançavam 0,74%, a US$ 39,60 o barril, na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex). Susana Gonzalez/Bloomberg