Petróleo recua 2,83% com possível trégua em Gaza

Os preços do petróleo no mercado futuro fecharam em baixa nesta terça-feira, com a expectativa de que uma trégua no conflito entre Israel e militantes palestinos radicados em Gaza, que já dura uma semana, alivie as preocupações sobre riscos no suprimento de petróleo na região.

Fontes do Hamas e da Jihad Islâmica disseram que um cessar-fogo na violência que ocorre na Faixa de Gaza era iminente. Já o porta-voz do governo de Israel, Mark Regev, disse que a trégua não está definida, e que "a bola continua em campo".

Os preços do petróleo haviam subido mais de 4% nas últimas duas sessões com o temor de que o conflito se espalhasse pelo Oriente Médio e interrompesse a produção e o transporte do petróleo. Mas, segundo o corretor da Jefferies Bache Andy Lebow, a possibilidade de uma trégua empurrou os preços para baixo. "A alta de ontem foi toda baseada em preocupações com um conflito mais abrangente", disse.

Participantes do mercado afirmaram que os investidores enfrentarão uma abundante produção de petróleo, além da fraca demanda que atinge o mercado desde setembro, a última vez em que o preço do petróleo ultrapassou a barreira dos US$ 100 por barril.

Na bolsa mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), os contratos de petróleo para janeiro tiveram queda de US$ 2,53 (2,83%) e fecharam a US$ 86,75 por barril. Na Intercontinental Exchange (ICE), em Londres, os contratos do petróleo Brent para janeiro fecharam a US$ 109,83 por barril, em baixa de US$ 1,50 (1,87%). As informações são da Dow Jones.

Carregando...