Mercado fechado

Petróleo recua às mínimas de seis semanas, com alta nos estoques dos EUA

Valor

Os contratos do Brent para o mês de março caíram 0,75%, a US$ 64,00 o barril, e os do WTI recuaram 0,72%, a US$ 57,81 o barril Os contratos futuros do petróleo encerraram a sessão desta quarta-feira (15) em queda, no menor valor desde o dia 20 de novembro, após os dados semanais do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) americano terem apontado uma alta inesperada nos estoques de gasolina e destilados dos Estados Unidos.

Os contratos futuros do Brent para o mês de março terminaram o dia em queda de 0,75%, a US$ 64,00 o barril, na ICE, em Londres, enquanto os preços do West Texas Intermediate (WTI) recuaram 0,72%, a US$ 57,81 o barril, na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex).

Os produtos petrolíferos, especialmente o óleo para calefação, "tiveram uma alta muito maior do que o esperado", disse Tariq Zahir, membro gerente da Tyche Capital Advisors, ao MarketWatch. Também digno de nota, os estoques no centro comercial dos EUA de Cushing, um termômetro do consumo de petróleo no país, "viram uma alta nos estoques pela primeira vez em várias semanas", afirmou.

Mais cedo, o DoE informou que os estoques de gasolina nos EUA subiram o correspondente a 6,678 milhões de barris na semana passada, a 258,287 milhões de barris, ante expectativa de alta de 3,2 milhões de barris no período. Já os estoques de destilados — que incluem diesel e óleo para calefação — subiram em 8,171 milhões de barris, a 147,221 milhões, ante expectativa de que haveria alta de 1,1 milhão de barris na semana.

O crescimento nos estoques de destilados está "entre os maiores da história" e veio em meio a uma previsão do tempo que anuncia que "fevereiro deve ter uma temperatura média", disse Phil Flynn, analista de mercado sênior do Price Futures Group.

No entanto, os estoques de petróleo nos EUA caíram o equivalente a 2,549 milhões de barris na semana encerrada no dia 10 de janeiro, a 428,511 milhões. A expectativa de consenso, em levantamento do "Wall Street Journal" junto a analistas era por queda de 1,1 milhão de barris na semana passada.