Mercado abrirá em 8 h 35 min
  • BOVESPA

    99.605,54
    -1.411,46 (-1,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.001,31
    -244,59 (-0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,64
    -0,93 (-2,35%)
     
  • OURO

    1.906,90
    -5,00 (-0,26%)
     
  • BTC-USD

    13.796,91
    +42,15 (+0,31%)
     
  • CMC Crypto 200

    272,67
    +11,38 (+4,36%)
     
  • S&P500

    3.390,68
    -10,29 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    27.463,19
    -222,21 (-0,80%)
     
  • FTSE

    5.728,99
    -63,02 (-1,09%)
     
  • HANG SENG

    24.690,79
    -96,40 (-0,39%)
     
  • NIKKEI

    23.410,76
    -83,54 (-0,36%)
     
  • NASDAQ

    11.539,00
    -49,00 (-0,42%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7193
    +0,0788 (+1,19%)
     

Petróleo oscila em torno da estabilidade, com preocupação sobre demanda

Rafael Vazquez
·2 minutos de leitura

Impacto de avanço da covid-19 impede que preços aproveitem dólar mais fraco na sessão O petróleo oscila em torno da estabilidade na manhã desta segunda-feira e não consegue se favorecer da queda do dólar na sessão. A commodity segue presa ao nível próximo de US$ 40 em meio às preocupações com a recuperação da demanda, agravadas pelo aumento de casos de covid-19 na Europa e nos EUA. Por volta de 8h30, os preços dos contratos para novembro do Brent, a referência global, tinham leve alta de 0,14%, a US$ 41,98 o barril, depois de terem operado em queda moderada mais cedo na ICE em Londres. Na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex), os preços dos contratos para novembro do WTI, a referência americana, avançavam 0,25%, a US$ 40,35 o barril. No mesmo horário, o dólar DXY, que mede o desempenho da moeda americana ante uma cesta de divisas fortes, caía 0,41%, a 94,249. “Curiosamente, os mercados de ações em alta e um dólar mais fraco não estão proporcionando um impulso para os preços do petróleo, já que os temores da covid dominam. Com as mortes globais prestes a ultrapassar um milhão e os números de casos em toda a Europa aumentando, mesmo antes do período de inverno, as perspectivas de demanda por petróleo parecem desafiadoras”, afirmou em nota o analista da Oanda na Europa, Craig Erlam. “Os preços estáveis por enquanto podem ser encorajadores, mas os riscos permanecem para baixo”, completou. A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) voltou a agregar mais oferta ao mercado em agosto depois de cortes acertados nos meses anteriores. Além disso, uma retomada da produção da Líbia após um longo bloqueio em meio à guerra civil no país pode pressionar ainda mais a frágil recuperação do petróleo. Ali Mohammadi/Bloomberg