Petróleo opera suscetível a notícias macroeconômicas

Os contratos futuros do petróleo operam sem direção única, ficando mais suscetíveis a notícias macroeconômicas em meio à falta de outros fatores com potencial de movimentar o mercado.

Às 8h53 (de Brasília), o petróleo para março negociado na New York Mercantile Exchange (Nymex) subia 0,32%, para US$ 96,97 por barril, enquanto o brent para abril apresentava um ligeiro recuo de 0,01% na ICE, para US$ 117,51 por barril.

O diferencial entre os dois contratos diminuiu um pouco, para ligeiramente acima de US$ 20,00, com o contrato na Nymex se beneficiando com a projeção de aumento na quantidade de petróleo a ser transportado pelo oleoduto Seaway de Cushing (Oklahoma) até as refinarias na costa do Golfo dos EUA.

O brent, por sua vez, continua operando em níveis abaixo de suas máximas recentes, sensível a dados macroeconômicos decepcionantes como o que foi divulgado na terça-feira pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Segundo a entidade, com sede em Paris, o Produto Interno Bruto (PIB) combinado de seus 30 países membros recuou 0,2% no quarto trimestre de 2012 ante os três meses anteriores. Esta foi a primeira queda do indicador registrada desde o primeiro trimestre de 2009.

Tensões geopolíticas também pressionam o contrato negociado em Londres, de acordo com Andrey Kryuchenkov, da VTB Capital. No dia 25, as potências econômicas vão se reunir com o Irã para discutir o polêmico programa nuclear de Teerã. Embora seja improvável, um eventual acordo que leve à retomada das exportações iranianas pode afetar o preço da commodity.

Mais tarde, os investidores vão acompanhar a divulgação da ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve, o banco central dos EUA, e os dados semanais do American Petroleum Institute (API) sobre os estoques de petróleo bruto do país. As informações são da Dow Jones.

Carregando...