Mercado fechado

Petróleo opera em alta em meio a reunião urgente da Opep

Rafael Vazquez

Técnicos discutem possibilidade de novo corte como resposta a impacto do coronavírus sobre demanda pela commodity na China Depois de cair 20% desde o pico da alta no início de janeiro, quando o Irã retaliou os EUA pelo assassinato de um importante general no Iraque, o petróleo opera em alta na sessão desta terça-feira diante do início de uma reunião técnica da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) para debater uma resposta aos impactos do coronavírus na China, o maior importador da commodity no mundo.

Com a ameaça à demanda e depois de os preços terem tocado as mínimas de um ano, o cartel discute hoje e amanhã com países aliados, como a Rússia, a possibilidade de estender e aprofundar os cortes na produção de petróleo. O resultado desse encontro pode levar a uma reunião ministerial da Opep ainda neste mês, na qual uma decisão poderá ser efetivamente tomada.

Diante da expectativa e com os mercados globais mais propensos ao risco na sessão de hoje, os preços dos contratos para abril do Brent, a referência global, subiam 0,86% nesta manhã, a US$ 54,92 o barril, na ICE, em Londres, enquanto os contratos para março do WTI, a referência americana, tinham valorização de 1,50%, a US$ 50,86 o barril, na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex).