Petróleo opera sem direção única

Os futuros de petróleo operam sem direção única nesta manhã, em meio à especulação entre alguns operadores e analistas de que produtores da commodity estão considerando reduzir a produção.

Há notícias na mídia de que a Arábia Saudita, principal integrante da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), estaria disposta a reduzir sua produção se países que não pertençam ao cartel fizerem o mesmo.

Na semana passada, a Opep decidiu manter o teto de sua produção inalterado em 30 milhões de barris por dia, o que contribuiu para aumentar a pressão sobre as cotações do petróleo.

Para o Commerzbank, a probabilidade de os produtores chegarem a um acordo coordenado é bem baixa. "Dados os problemas que enfrenta, a Rússia, por exemplo, não está numa posição de aceitar uma queda na receita proveniente do petróleo bruto", comentou o banco alemão. Já os EUA podem ajudar a produção "no futuro previsível", em reação aos preços baixos, completou.

Mais tarde, às 13h30 (de Brasília) os investidores vão acompanhar o relatório semanal do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) norte-americano sobre os estoques de petróleo dos EUA. A estimativa é que houve alta de 600 mil barris nos estoques da semana passada.

Às 10h05 (de Brasília), o Brent para janeiro caía 0,10%, a US$ 70,47 por barril, na plataforma eletrônica ICE, enquanto na Nymex, o petróleo para o mesmo mês avançava 0,27%, a US$ 67,06 por barril. Fonte: Dow Jones Newswires.

Carregando...