Petróleo e gasolina fecham em queda em Nova York

Os preços do petróleo caíram, em reação à alta do dólar que se seguiu à divulgação de indicadores positivos de emprego e encomendas à indústria divulgados nos EUA. O destaque do dia no mercado de petróleo e derivados, porém, foi a gasolina, cujos preços caíram depois de o governo dos EUA revogar temporariamente a lei que proíbe a entrega de combustível por petroleiros estrangeiros no país, de modo a acelerar o fornecimento para a região atingida pelo furacão Sandy.

"Houve uma reação forte do mercado a essa dispensa, porque ela libera muitos petroleiros que agora podem atender ao porto de Nova York", disse o trader John Kilduff, da Again Capital. Além da suspensão temporária dessa lei, o governador do estado de Nova York, Mario Cuomo, decretou uma dispensa temporária de pagamento de impostos para os petroleiros que aportarem ali.

A região Nordeste dos EUA, especialmente o estado de Nova Jersey e partes do de Nova York, enfrentam um desabastecimento sério de gasolina por causa da passagem do furacão Sandy; em muitos casos, os postos de combustíveis foram obrigados a ficar fechados por causa da suspensão do fornecimento de energia elétrica. As distribuidoras de energia disseram que poderá levar uma semana ou mais para que o fornecimento de energia seja restabelecido em toda a região.

O abastecimento de petróleo, porém, já começou a ser normalizado. A principal instalação da infraestrutura da região, o Oleoduto Colonial, que traz petróleo do Golfo do México para Nova Jersey, voltou a operar nesta sexta-feira, fornecendo cerca de 700 mil barris por dia. A NuStar Energy e a Hess Corp. anunciaram que seus terminais em Linden e em Pennsauken, em Nova Jersey, também já estão atendendo atacadistas que usem caminhões para transportar combustíveis.

Segundo Jeff Lenard, porta-voz da Associação Nacional de Lojas de Conveniência, "estamos vendo mais energia elétrica sendo restaurada e mais terminais sendo reabertos. Os desafios são restabelecer o fornecimento de energia elétrica, obter os combustíveis e vendê-los a preços acessíveis, dentro das limitações". A legislação estadual proíbe os varejistas de gasolina de elevarem os preços excessivamente em situações de emergência. Em Nova Jersey, os preços não podem ser elevados em mais de 10% em relação aos que eram praticados antes da decretação do estado de emergência.

O analista Greg Priddy, do Eurasia Group, disse que a retomada das operações do Oleoduto Colonial é crítica para restaurar o fornecimento de combustíveis para o Nordeste dos EUA, mas ressalvou que o impacto do furacão Sandy deve manter os preços do petróleo pressionados, por causa da destruição de demanda.

Para o analista Matt Smith, da Schneider Electric, o recuo dos preços do petróleo também refletiu o fato de duas refinarias da região Nordeste dos EUA ainda não terem retomado suas operações. "Se as refinarias não voltaram a operar, isso quer dizer que a oferta de petróleo bruto vai crescer. O sentimento é de que vai demorar mais do que se previa para que as coisas se normalizem", disse Smith.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), os contratos de petróleo bruto para dezembro fecharam a US$ 84,86 por barril, em queda de US$ 2,23 (2,56%). Os contratos de gasolina para dezembro fecharam a US$ 2,5736 por galão, em queda de US$ 0,0600 (2,28%). Na Intercontinental Exchange (ICE), os contratos do petróleo Brent para dezembro fecharam a US$ 105,68 por barril, em queda de US$ 2,49 (2,30%). As informações são da Dow Jones.

Carregando...