Mercado fechado

Petróleo fecha sem direção única com reunião da Opep e tensão comercial

Rafael Vazquez

Os preços dos contratos para fevereiro do Brent fecharam em queda de 0,16% e os contratos para janeiro do WTI subiram 0,24% Os preços do petróleo fecharam sem direção única nesta terça-feira, em uma sessão marcada pela expectativa de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) acerte com aliados a extensão nos cortes de produção na reunião desta semana e a nova escalada das tensões comerciais, com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciando tarifas a Brasil e Argentina, ameaçando a França e sinalizando que pode suspender as negociações com a China para depois das eleições americanas de 2020.

Os preços dos contratos para fevereiro do Brent, a referência global, fecharam em queda de 0,16%, a US$ 60,82 o barril, na ICE, em Londres, enquanto os contratos para janeiro do WTI, a referência americana, subiram 0,24%, a US$ 56,10 o barril, na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex).

Bolsas da Europa fecham em queda com tensão comercial

Dólar desacelera queda no fim da sessão, em R$ 4,20

A reunião da Opep em Viena nesta quinta e sexta-feira “será fundamental para garantir que os preços do petróleo permaneçam em torno de US$ 60 pelo resto do ano, mas, após sua conclusão, haverá uma preocupação premente com a disputa comercial entre EUA e China, o que ainda é desencorajador”, disse, em nota, o executivo-chefe da Sun Global Investments, Mihir Kapadia. "As negociações continuam se arrastando e o trabalho da Opep e de outras partes para ajudar a reequilibrar os mercados não vai tão longe, a menos que um acordo comercial de primeira fase seja alcançado em breve."

O cenário evidencia uma contínua preocupação com o reequilíbrio da oferta e da demanda por petróleo no mundo, com a guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo e a desaceleração econômica global ainda representando ameaças para a demanda.

Os investidores da commodity agora estarão atentos à divulgação, nesta quarta (4), às 12h30, pelo Departamento de Energia americano (DoE), dos dados oficiais dos estoques de petróleo bruto e derivados dos EUA.