Petróleo fecha em queda de 0,64% após dados da OCDE

Os contratos futuros de petróleo negociados na New York Mercantile Exchange (Nymex) fecharam em queda nesta terça-feira, com indícios de um crescimento econômico global menor do que o esperado alimentando os receios com a demanda pela commodity.

O contrato de petróleo para janeiro perdeu US$ 0,56 (0,64%) e encerrou a US$ 87,18 o barril. Já na plataforma eletrônica ICE o barril do petróleo do tipo Brent para janeiro teve queda de US$ 1,05 (0,95%), fechando a US$ 109,87.

O petróleo iniciou a sessão em alta na Nymex, após o anúncio de um acordo entre os credores oficiais da Grécia para liberar a próxima parcela da ajuda internacional ao país. Mas os contratos passaram a operar em queda depois que a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) reduziu as projeções de crescimento para os países membros.

De acordo com a organização, assumindo que seus piores temores não aconteçam, o Produto Interno Bruto (PIB) combinado de seus 34 países membros deve crescer 1,4% no próximo ano e 2,3% em 2014. Em maio, a previsão de crescimento da OCDE era de 1,6% e 2,2%, respectivamente.

"A previsão da OCDE pinta um quadro sombrio, mas eu acho que a pequena correção nos preços do petróleo hoje sugere que os números estão apenas confirmando os temores que a maioria das pessoas tinham", comenta Matthew Parry, analista sênior do mercado de petróleo da Agência Internacional de Energia.

Entre os indicadores divulgados nos EUA, dois do setor imobiliário, o índice de preços das moradias da FHFA e o índice de preços em 20 metrópoles da S&P/Case Shiller registraram melhora em setembro, mas vieram abaixo das estimativas dos analistas ouvidos pela Dow Jones. Os outros dados foram bons. O índice de atividade do setor industrial do Fed de Richmond subiu para 9 em novembro; o índice de confiança do consumidor norte-americano do Conference Board subiu para 73,7 em novembro, o nível mais alto desde fevereiro de 2008; e as encomendas de bens duráveis ficaram estáveis em outubro.

O petróleo também foi prejudicado nesta sessão pela alta do dólar ante o euro. Como é denominado na moeda americana, a commodity se torna mais cara para compradores que usam outras divisas quando o dólar se fortalece. As informações são da Dow Jones.

cotações recentes

 
Cotações recentes
Símbolo Preço Variação % Var 
Seus tickers vistos mais recentemente aparecerão aqui automaticamente se você digitou um ticker no campo "Inserir símbolo/empresa" na parte inferior deste módulo.
É necessário permitir os cookies do seu navegador para ver as cotações mais recentes.
 
Entre para ver as cotações nos seus portfólios.

Resumo do Mercado

  • Moedas
    Moedas
    NomePreçoVariação% Variação
    3,10330,000,00%
    USDBRL=X
    3,2925-0,0022-0,07%
    EURBRL=X
    0,9421+0,0004+0,04%
    USDEUR=X
  • Commodities
    Commodities
    NomePreçoVariação% Variação

Destaques do Mercado

  • Líderes em Volume
    Líderes em Volume
    NomePreçoVariação% Variação
    15,61-0,25-1,58%
    PETR4.SA
    10,16+0,16+1,60%
    ITSA4.SA
    16,76+0,46+2,82%
    LAME4.SA
    32,25+0,40+1,26%
    VALE5.SA
    9,15+0,35+3,98%
    RUMO3.SA
  • Altas %
    Altas %
    NomePreçoVariação% Variação
    3,30+0,52+18,71%
    TXRX4.SA
    3,75+0,49+15,03%
    TPIS3.SA
    4,49+0,52+13,10%
    INEP4.SA
    4,42+0,47+11,90%
    LFFE3.SA
    2,30+0,24+11,65%
    STBP3.SA
  • Baixas %
    Baixas %
    NomePreçoVariação% Variação
    0,35-0,24-40,68%
    PFRM1.SA
    0,55-0,30-35,29%
    SULT3.SA
    5,20-1,05-16,80%
    TOYB3.SA
    2,06-0,32-13,45%
    MYPK11.SA
    3,80-0,58-13,24%
    LFFE4.SA