Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +412,93 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,06 (-0,10%)
     
  • OURO

    1.777,30
    -2,90 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    55.688,82
    -5.260,70 (-8,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,67 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,61 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,67 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    -5,50 (-0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6842
    -0,0369 (-0,55%)
     

Petróleo fecha quase estável; dólar mais fraco compensa temor com demanda

Scott DiSavino
·2 minuto de leitura
Bombeamento de petróleo no condado de Loving, Texas (EUA)

Por Scott DiSavino

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo fecharam esta quinta-feira praticamente estáveis, com a desvalorização do dólar e as altas nos mercados acionários compensando os movimentos negativos vistos no início da sessão, diante de um grande aumento nos estoques de gasolina dos Estados Unidos e da demanda reprimida frente aos níveis pré-pandemia.

Os contratos futuros do petróleo Brent avançaram 0,04 dólar, ou 0,1%, para 63,20 dólares por barril, enquanto o petróleo dos EUA (WTI) apurou queda de 0,17 dólar, ou 0,3%, a 59,60 dólares o barril.

"Os preços do petróleo estão lutando para encontrar uma direção, já que as pressões de curto prazo representadas pela Covid-19 estão sendo compensadas pelo dólar muito mais fraco", disse Edward Moya, analista de mercado sênior da OANDA em Nova York.

O dólar atingiu uma mínima de duas semanas ante uma cesta de moedas, acompanhando a queda nos rendimentos dos Treasuries, após dados indicarem um inesperado aumento nos pedidos semanais de seguro-desemprego nos EUA.

O dólar desvalorizado torna o petróleo mais barato para detentores de outras moedas, o que costuma dar impulso às cotações da commodity.

O S&P 500, enquanto isso, cravou uma nova máxima recorde, e o Nasdaq operava nos maiores níveis em sete semanas, apoiado por ganhos em ações relacionadas à tecnologia, um dia após o Federal Reserve reiterar a promessa de seguir "ultra dovish" até que a recuperação econômica esteja mais garantida.

Por outro lado, os estoques de gasolina dos EUA tiveram alta semanal de 4 milhões de barris, para pouco mais de 230 milhões de barris, à medida que refinarias aceleram produção antes da temporada de viagens no verão local, disse a Administração de Informação sobre Energia (AIE) na véspera.

(Reportagem adicional de Shadia Nasralla, em Londres, e Aaron Sheldrick, em Tóquio)