Mercado fechado

Petróleo fecha em queda em reação à alta nos estoques de petróleo dos EUA

Valor

Os contratos futuros do Brent para janeiro encerraram a sessão em queda de 0,32% e os preços do West Texas Intermediate (WTI) para o mesmo mês recuaram 0,51% Os preços do petróleo encerraram a sessão desta quarta-feira (27) em queda, após os dados oficiais do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) dos Estados Unidos terem apontado um aumento semanal nos estoques do país, contrariando a estimativa de queda dos analistas.

Os contratos futuros do Brent para janeiro encerraram a sessão em queda de 0,32%, negociados a US$ 64,06 o barril na ICE, em Londres. Os preços do West Texas Intermediate (WTI) para o mesmo mês recuaram 0,51%, a US$ 58,11 o barril, na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex).

Na semana, a referência global (Brent) do petróleo acumula alta de 0,88%, enquanto os contratos da referência americana (WTI) subiram 0,24%. Nesta quinta (28), os mercados dos EUA estarão fechados por conta do feriado do Dia de Ação de Graças e a sessão será reduzida na sexta-feira (29), o que deve diminuir a liquidez até o fim da semana.

De acordo com dados divulgados mais cedo pelo Departamento de Energia, os estoques de petróleo nos EUA subiram o equivalente a 1,572 milhão de barris, na semana encerrada no dia 22 de novembro, a 451,952 milhões de barris. A expectativa de consenso, em levantamento do "Wall Street Journal" junto a analistas era por queda de 300 mil barris, no período.

Ainda segundo os dados oficiais do DoE, os estoques de gasolina subiram o correspondente a 5,132 milhões de barris na semana passada, a 225,978 milhões de barris, ante expectativa de alta de 500 mil barris no período.

Mais cedo, os preços das referências americana e global de petróleo avançavam, com os investidores moderadamente otimistas em relação ao acordo comercial entre os EUA e a China. A aparente melhora na relação entre os dois países nas últimas semanas deu suporte aos preços da commodity e fez as ações em Wall Street renovarem máximas históricas sucessivas vezes.