Mercado fechado

Petróleo fecha em queda e anota pior semana desde abril

André Mizutani e Rafael Vazquez
·1 minuto de leitura

Na semana, o contrato do petróleo WTI acumulou perdas de 10,2% e o do Brent recuou 10,3% Os contratos futuros do petróleo fecharam em queda nesta sexta-feira (30), encerrando a semana com perdas acentuadas, em meio aos temores com o aumento do número de novos casos de covid-19 na Europa e nos Estados Unidos. O contrato do petróleo Brent para dezembro fechou em queda de 0,50%, a US$ 37,46 por barril, na ICE, em Londres, acumulando perdas de 8,5% no mês. Já o do WTI para o mesmo mês recuou 1,05%, a US$ 35,79 por barril, na sessão, e 11,0% no mês. Na semana, o contrato do petróleo WTI acumulou perdas de 10,2% e o Brent recuou 10,3%, levando ambas as referências da commodity a anotar a pior semana desde abril. Os investidores seguem receosos de que o aumento do número de casos e a adoção de novas medidas para conter o avanço da pandemia ameacem a recuperação econômica e prejudiquem a demanda por petróleo, pressionando os preços. O número de contaminações diárias nos EUA bateu, na quinta (29), um novo recorde de 88,521 casos, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins, mas os números vêm assustando os investidores ao longo da semana. Especialmente nos EUA, há temores de volta dos lockdowns, embora Estados como o Texas, o maior consumidor de gasolina do país, tenham feito outro caminho, reabrindo bares e outros negócios, na semana passada, sem qualquer grande aumento nas mortes ou novos casos até agora.