Mercado abrirá em 11 mins
  • BOVESPA

    119.646,40
    -989,99 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.125,71
    -369,70 (-0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,93
    -0,38 (-0,71%)
     
  • OURO

    1.871,90
    +5,40 (+0,29%)
     
  • BTC-USD

    32.716,22
    -785,87 (-2,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    649,63
    -50,98 (-7,28%)
     
  • S&P500

    3.851,85
    +52,94 (+1,39%)
     
  • DOW JONES

    31.188,38
    +257,86 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.748,01
    +7,62 (+0,11%)
     
  • HANG SENG

    29.927,76
    -34,71 (-0,12%)
     
  • NIKKEI

    28.756,86
    +233,60 (+0,82%)
     
  • NASDAQ

    13.346,75
    +52,50 (+0,39%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4219
    +0,0139 (+0,22%)
     

Petróleo fecha em alta, mas encerra semana com perdas

Rafael Vazquez e André Mizutani
·2 minuto de leitura

Além das preocupações sobre a recuperação da economia global, outro fator que pesou sobre o humor do investidores foram os balanços das petrolíferas americanas Após uma sessão instável, os preços do petróleo fecharam em alta nesta sexta-feira (31), embora não tenham revertido a queda semanal em meio às preocupações que pairam sobre a recuperação da economia global, diante do aumento de casos de covid-19 ao redor do mundo. Os preços dos contratos para setembro do Brent, a referência global, subiram 0,83%, a US$ 43,30 o barril, na ICE, em Londres, enquanto os contratos para o mesmo mês do WTI, a referência americana, valorizaram 0,87%, a US$ 40,27 o barril, na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex). Na semana, o Brent caiu 0,2% e o WTI recuou 2%. A alta de hoje veio após o WTI ter terminado o dia de ontem abaixo da marca dos US$ 40 pela primeira vez em três semanas. Além das preocupações sobre a recuperação da economia global, o que afeta as perspectivas de demanda pela commodity, outro fator que pesou sobre o humor dos investidores foram os balanços das grandes companhias petrolíferas americanas, que indicaram prejuízos acentuados no segundo trimestre. A Chevron reportou prejuízo de US$ 8,3 bilhões no período, enquanto a Exxon Mobil teve prejuízo de US$ 1,08 bilhão. "A pandemia global e as condições de excesso de oferta impactaram significativamente os nossos resultados financeiros do segundo trimestre com preços, margens e volume de vendas mais baixos", disse o excutivo-chefe da Exxon, Darren Woods. Do lado da oferta, o número de plataformas de perfuração de petróleo em operação nos Estados Unidos caiu para 180 na semana passada, de 181 na anterior, de acordo com a empresa Baker Hughes. Isso representou um declínio de 590 plataformas em relação ao mesmo período do ano anterior, quando havia 770 plataformas de petróleo nos EUA.