Petróleo cai após corte do rating da França

Os contratos de petróleo operam em baixa, afetados pelo rebaixamento do rating da França anunciado ontem à noite pela agência de classificação de risco Moody's, que renovou as preocupações com as fracas perspectivas para a economia da Europa. A Moody's rebaixou o rating soberano francês de Aaa para Aa1, com perspectiva negativa.

Ole Hansen, diretor de estratégia para commodities do Saxo Bank, afirmou que o corte do rating reverteu o sentimento dos investidores, que durante o dia ontem havia provocado um rali nos preços do petróleo. "Provavelmente isso já era esperado, mas não é o que a Europa precisa no momento e leva o foco novamente para a região e para a fraca perspectiva econômica que temos para essa parte do mundo", comentou.

Analistas do VTB Capital disseram em relatório a clientes que o petróleo brent tem suporte de curto prazo em US$ 104,00 por barril, caso os preços caiam a menos de US$ 106,60 por barril. A resistência de alta para o contrato estaria em US$ 115,00 por barril e dificilmente ganhos acima disso serão sustentáveis, afirmaram.

Mais tarde, às 19h30 (de Brasília), os investidores observarão o relatório do Instituto Americano de Petróleo (API, na sigla em inglês) sobre estoques de petróleo nos EUA, que será seguido amanhã pelo relatório do Departamento de Energia (DOE) do país.

Às 9h45 (de Brasília), o petróleo para janeiro negociado na Nymex caía 0,25%, para US$ 89,06 por barril, e o brent para janeiro recuava 0,15% na ICE, para US$ 111,53 por barril. As informações são da Dow Jones.

Carregando...