Petróleo cai 0,43% e tem menor nível em quase 1 mês

Os contratos futuros de petróleo negociados na New York Mercantile Exchange (Nymex) terminaram em queda nesta segunda-feira, atingindo o menor nível em quase um mês, em meio a receios sobre a economia global e a demanda pela commodity.

O contrato de petróleo para janeiro perdeu US$ 0,37 (0,43%) e fechou a US$ 85,56 o barril, o menor nível desde 15 de novembro. Na plataforma eletrônica ICE, o barril do petróleo do tipo Brent para janeiro subiu US$ 0,31 (0,29%), encerrando a US$ 107,33.

Segundo Gene McGillian, corretor e analista da Tradition Energy, diversos fatores de incerteza econômica afetam o mercado de petróleo, incluindo os esforços para evitar o abismo fiscal, uma série de cortes de gastos e aumentos de impostos programada para entrar em vigor no começo do ano que vem e que faria a economia dos Estados Unidos cair em recessão.

Além disso, na Itália o primeiro-ministro Mario Monti anunciou neste fim de semana que vai renunciar após a aprovação do orçamento do ano que vem, depois de perder apoio do partido do ex-premiê Silvio Berlusconi, que tentará voltar ao poder nas próximas eleições.

Na quarta-feira (12) acontece uma reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), em Viena, mas analistas dizem que os níveis de produção do grupo não devem ser alterados. Mais cedo, o Irã alertou que a produção excessiva de petróleo por parte da Opep pode elevar os estoques globais da commodity, prejudicando os preços. O país também comentou que os membros da Opep ainda não chegaram a um acordo sobre o novo secretário-geral do grupo.

Também existem expectativas com a reunião de dois dias do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), do banco central dos EUA, que começa na terça-feira. Mas o petróleo recebeu certo suporte nesta sessão após a notícia de que a produção industrial da China subiu 10,1% em novembro, a maior alta desde março e acima das expectativas dos analistas. As informações são da Dow Jones.

Carregando...