Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.594,26
    +65,29 (+0,13%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,06
    -0,61 (-0,97%)
     
  • OURO

    1.791,80
    +13,40 (+0,75%)
     
  • BTC-USD

    56.134,82
    +20,60 (+0,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.291,60
    +28,64 (+2,27%)
     
  • S&P500

    4.154,40
    +19,46 (+0,47%)
     
  • DOW JONES

    33.969,27
    +147,97 (+0,44%)
     
  • FTSE

    6.913,17
    +53,30 (+0,78%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.807,25
    +13,00 (+0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7002
    -0,0023 (-0,03%)
     

Petróleo Brent fecha perto de US$70 por expectativas com recuperação de demanda

Laura Sanicola
·1 minuto de leitura

Por Laura Sanicola

NOVA YORK (Reuters) - O petróleo Brent terminou esta sexta-feira próximo à marca de 70 dólares por barril, sustentado pelos cortes de oferta de grandes países produtores e pelo otimismo com uma recuperação da demanda no segundo semestre deste ano.

Valor de referência global, o Brent fechou em queda de 0,41 dólar, ou 0,6%, a 69,22 dólares o barril. O petróleo dos Estados Unidos (WTI) também recuou 0,41 dólar, para 65,61 dólares/barril.

Tanto Brent quanto WTI encerraram a semana praticamente estáveis, após os preços atingirem máximas de 13 meses na segunda-feira. Ambos vinham de sete semanas consecutivas de ganhos.

"A demanda por ativos de risco, como o petróleo, continua sendo impulsionada pelo pacote de alívio da Casa Branca e por um fluxo quase diário de notícias positivas relacionadas à vacina", disse Jim Ritterbusch, presidente da Ritterbusch and Associates em Galena, Illinois.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) projetou uma recuperação mais forte da demanda pela commodity neste ano, concentrada no segundo semestre. Na semana passada, Opep, Rússia e outros aliados decidiram manter seus cortes de oferta praticamente inalterados.

"A recuperação mais forte do que o esperado no segundo semestre deste ano indica que a economia global e, portanto, as perspectivas para a demanda por petróleo estão perto de se livrar dos problemas com a Covid", afirmaram analistas da PVM.

(Reportagem adicional de Shadia Nasalla e Florence Tan)