Mercado fechará em 4 h 46 min
  • BOVESPA

    109.349,55
    -2.190,25 (-1,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.014,58
    +332,39 (+0,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,79
    +1,04 (+1,74%)
     
  • OURO

    1.709,00
    -24,60 (-1,42%)
     
  • BTC-USD

    50.904,41
    +1.688,63 (+3,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.018,15
    +30,05 (+3,04%)
     
  • S&P500

    3.843,34
    -26,95 (-0,70%)
     
  • DOW JONES

    31.364,61
    -26,91 (-0,09%)
     
  • FTSE

    6.630,33
    +16,58 (+0,25%)
     
  • HANG SENG

    29.880,42
    +784,56 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    29.559,10
    +150,93 (+0,51%)
     
  • NASDAQ

    12.905,50
    -149,75 (-1,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,9179
    +0,0558 (+0,81%)
     

Petróleo atinge máxima de 13 meses

Yuka Obayashi e Noah Browning
·1 minuto de leitura

Por Yuka Obayashi e Noah Browning

TÓQUIO/LONDRES (Reuters) - Os preços do petróleo atingiram nesta segunda-feira o seu nível mais alto em cerca de 13 meses, já que a vacinação contra a Covid-19 promete reavivar a demanda e os produtores da commodity mantêm o fornecimento controlado.

Mais cedo, temores de tensões no Oriente Médio geraram novas compras, enquanto também há esperanças de que um estímulo dos EUA e uma flexibilização dos bloqueios irão impulsionar a demanda de combustível.

O petróleo Brent subia 1,3%, a 63,25 dólares por volta das 10:45 (horário de Brasília), após subir para 63,76 dólares, a maior desde 22 de janeiro de 2020.

Os futuros do petróleo dos EUA (WTI) ganhavam 1,8% no mesmo horário, para 60,54 o barril. O contrato atingiu o valor mais alto desde 8 de janeiro do ano passado, de 60,95 dólares, no início da sessão.

Os preços do petróleo subiram cerca de 5% na semana passada.

As cotações subiram nas últimas semanas à medida que a oferta diminuiu, em grande parte devido aos cortes de produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e de produtores aliados no grupo Opep+.

O vice-primeiro-ministro russo, Alexander Novak, disse que o mercado global de petróleo está a caminho de recuperação e que o preço do barril este ano pode atingir uma média de 45 a 60 dólares.