Petróleo é pressionado por cessar-fogo no Oriente Médio

Os contratos futuros de petróleo operam pressionados pela falta de liquidez em razão do feriado do Dia de Ação de Graças nos EUA e pelo cessar-fogo anunciado nesta quarta-feira (21) entre Israel e o movimento Hamas. Caso o cessar-fogo seja mantido, parte do prêmio geopolítico embutido nos preços do petróleo deverá ser removido do mercado, como afirmaram analistas da Petromatrix em nota a clientes.

A primeira expansão em 13 meses na atividade industrial da China impede uma maior queda dos preços, pois sugere que haverá aumento na demanda do gigante asiático pela commodity. O índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) preliminar da China subiu para 50,4 em novembro, em comparação com a leitura final de outubro de 49,5.

Também existe suporte dos dados sobre estoques nos EUA. Nesta quarta-feira, o Departamento de Energia (DOE) informou que os estoques de petróleo bruto no país caíram na semana passada.

No entanto, os estoques nos EUA permanecem quase 13% acima do nível normal para este momento do ano, segundo analistas do Commerzbank. Isso sugere que o preço do WTI permanecerá abaixo do valor do brent. A diferença entre os dois contratos está em torno de US$ 23 por barril.

Às 9h31 (de Brasília), o petróleo para janeiro negociado na Nymex subia 0,09%, para US$ 87,46 por barril, enquanto o brent - que foi mais afetado pelo cessar-fogo no Oriente Médio - para janeiro caía 0,22% na ICE, para US$ 110,62 por barril. As informações são da Dow Jones.

Carregando...