Mercado fechado

Petróleo é armazenado em navios-tanque em ritmo recorde

Alex Longley e Firat Kayakiran

(Bloomberg) -- Navios-tanque globais são estocados com petróleo em ritmo recorde diante do rápido esgotamento da capacidade de armazenamento em terminais em um mercado saturado, segundo uma das maiores empresas do setor.

Uma combinação de produção crescente dos maiores produtores do mundo e destruição da demanda decorrente do surto de coronavírus sobrecarrega o armazenamento em reservatórios, disse Robert Hvide Macleod, CEO da Frontline Management. O mercado global deve estar produzindo cerca de 20 milhões de barris a mais por dia, ou 20% do consumo normal, disse, em linha com análises gerais do setor.

“O petróleo tem sido estocado em navios a uma velocidade nunca vista antes”, disse. Ele destaca que o ritmo de armazenamento da frota de navios-tanque é cinco vezes maior do que em 2015, último registro de excesso no mercado de petróleo.

A estrutura do mercado de petróleo é marcada pelo chamado “supercontango”, o que significa que agora é vantajoso para operadores comprarem e armazenarem petróleo para depois lucrarem com preços mais altos daqui a meses ou até anos. A International Seaways, outro proprietária de petroleiros, disse na quinta-feira que o volume total de petróleo em armazenamento flutuante pode atingir 100 milhões de barris durante o superávit do mercado.

A consultoria IHS Markit disse que os reservatórios poderão atingir 100% da capacidade até o fim do segundo trimestre com as taxas atuais de oferta e demanda, o que implica que produtores terão que reduzir a produção em breve. Empresas como Vitol e o Gunvor, duas das maiores tradings de petróleo do mundo, dizem que há forte demanda para estocar barris no mar.

Petroleiros menores

Traders geralmente buscam navios maiores para armazenamento de petróleo, pois são os mais econômicos. Nos últimos dias, porém, armadores também têm recebido consultas de embarcações menores que podem armazenar um milhão de barris ou menos e por períodos superiores a 12 meses, disse Lois Zabrocky, presidente da International Seaways

“Este é um tipo de evento único em uma geração”, afirmou a executiva na quinta-feira.

As taxas de navios-tanque subiram nas últimas semanas, puxadas pelo excesso de petróleo no mercado e maior demanda por petroleiros. As taxas de referência saltaram para cerca de US$ 120 mil por dia em relação aos US$ 40 mil no início do mês. Os preços ainda mostravam alta na sexta-feira, o que torna o armazenamento menos rentável, segundo especialistas do mercado.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.