Mercado fechado

‘Petista não aguenta trabalhar na minha empresa’, diz dono da Havan

Dono da Havan, que ficou conhecido por por apoiar o candidato Bolsonaro, negou que tenha exigido que seus funcionários votassem no candidato (Reprodução)

Em entrevista ao programa Pânico nesta semana, realizado na Rádio Jovem Pan, o dono da Havan, Luciano Hang, que ficou conhecido por por apoiar o candidato à presidência, Jair Bolsonaro (PSL), negou que tenha exigido que seus funcionários votassem no candidato. “não precisa obrigar ninguém a votar em alguém”, afirmou, ressaltando que “se você votar na direita você pensa no País, se você votar na esquerda vai virar Venezuela”.

Hang acredita que funcionários petistas não aguentariam trabalhar para ele. “Até acho que pelo modelo de negócio que temos, é tão competitivo, que um petista não aguenta trabalhar na minha empresa, ele não aguenta trabalhar com a gente, sai de graça, porque tem que trabalhar muito”, declarou.

O dono da Havan aproveitou a entrevista para negar que teria direcionado votos de pessoas que trabalham com ele e comparou o ambiente ao de uma igreja. “O voto é secreto. Imagina se eu fosse na urna com cada um dos meus 15 mil colaboradores [e perguntasse] você votou em quem?’.  Eu digo sempre que a Havan é uma empresa de marketing que até vende produtos, mas o nosso negócio é propaganda (…), é como se fosse uma Igreja”, declarou.

Confira a resposta do executivo: