Mercado fechado

Pessoas com genes dos neandertais correm mais risco de contrair Covid-19 em seu estado mais grave

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
ARCHIVO - Foto de archivo, 20 de marzo de 2009, de una reconstrucción de neandertales en el museo neandertal en Mettmann, Alemania. Tratar de explicar los casos de canibalismo entre nuestros antecesores evolutivos es un reto para la ciencia. Un nuevo estudio sugiere que probablemente no se practicaba solo para comer. (AP Foto/Martin Meissner)
Cerca de 50% da população do sul da Ásia e 16% dos europeus herdaram os genes neandertais. Na foto, uma reprodução dos neandertais (Foto: AP Foto/Martin Meissner)

Um grupo de genes herdados pelos humanos modernos dos antepassados Neandertal, que viveram há mais de 50 mil anos, pode triplicar o risco de desenvolver uma forma mais agressiva da Covid-19, doença causada pelo coronavírus. Essa é a conclusão de um estudo publicado nesta quarta-feira (30) pela revista Nature, uma das mais importantes do mundo.

Os cientistas do Instituto Max Planck, da Alemanha, que conduziram a pesquisa, compararam os perfis genéticos de cerca de 3,2 mil pacientes que contraíram a doença com os de outras 900 mil pessoas do público geral.

O resultado foi a descoberta que um grupo de genes do cromossomo 3, uma herança dos neandertais, pode aumentar em 60% a chance de o infectado precisar de hospitalização. Além disso, em relação à pandemia, os genes neandertais podem ter “consequências trágicas”.

Leia também:

Segundo um dos autores do estudo, Hugo Zeberg, pessoas que herdaram esse grupo de genes também estão mais propensas a precisar de ajuda mecânica para respirar após serem infectadas pela Covid-19.

No entanto, os cientistas não conseguiram explicar o motivo desses genes em particular agravarem as chances de desenvolver uma forma mais agressiva da doença.

Cerca de 50% da população do sul da Ásia e 16% dos europeus herdaram os genes neandertais. Esse perfil genético é praticamente inexistente no Leste Asiático e na África.