Mercado abrirá em 4 h 53 min
  • BOVESPA

    113.031,98
    +267,72 (+0,24%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.638,36
    -215,01 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,76
    -0,65 (-0,73%)
     
  • OURO

    1.792,80
    -5,30 (-0,29%)
     
  • BTC-USD

    24.035,28
    -3,97 (-0,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    570,05
    -20,72 (-3,51%)
     
  • S&P500

    4.297,14
    +16,99 (+0,40%)
     
  • DOW JONES

    33.912,44
    +151,39 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.538,15
    +29,00 (+0,39%)
     
  • HANG SENG

    19.808,79
    -232,07 (-1,16%)
     
  • NIKKEI

    28.868,91
    -2,87 (-0,01%)
     
  • NASDAQ

    13.654,75
    -26,50 (-0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1758
    -0,0027 (-0,05%)
     

Pessoas com crianças pequenas em casa podem ser menos propensas à covid grave

Pessoas com crianças pequenas em casa podem ser menos propensas do que outras a desenvolver covid-19 grave. Pelo menos, é isso o que afirma um estudo publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences no último dia 27. Segundo o artigo, adultos que não convivem com crianças apresentam risco 49% maior de hospitalização.

A teoria é que as crianças trazem resfriado da creche ou da escola para casa, e essas infecções mais leves podem fornecer alguma proteção contra a covid-19 grave. Para entender melhor essa relação, uma equipe de cientistas vasculhou os registros médicos de mais de 3 milhões de pacientes atendidos em um hospital da Califórnia de fevereiro de 2019 a janeiro de 2021.

Através da análise de pacientes que tiveram covid, os pesquisadores descobriram que adultos sem crianças tinham um risco 49% maior de precisar de hospitalização e 76% maior de ir parar em uma UTI, em comparação com os pacientes que tinham filhos de 5 anos ou menos.

Pessoas com crianças pequenas em casa podem ser menos propensas à covid-19 grave (Imagem: bondarillia/Unsplash)
Pessoas com crianças pequenas em casa podem ser menos propensas à covid-19 grave (Imagem: bondarillia/Unsplash)

"Ter filhos pequenos não confere proteção absoluta. Nosso estudo apenas sugere esse efeito. É uma pequena peça de um grande quebra-cabeça que os cientistas estão trabalhando para desvendar. Por que algumas pessoas pegam covid-19 muito grave e outras não? Esta é apenas uma das questões de algo bem complexo", diz o estudo.

No entanto, os autores do artigo ressaltam uma importante limitação: a pesquisa aconteceu antes da vacinação em massa contra a covid-19. Além disso, não está claro se alguma imunidade conferida por resfriados comuns pode se aplicar a todas as variantes, especialmente as cepas atuais mais contagiosas, o que inclui as subvariantes BA.5 e BA.4 da Ômicron.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos