Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.279,66
    -1.788,89 (-1,64%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.282,02
    +556,06 (+1,10%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,66
    -0,35 (-0,49%)
     
  • OURO

    1.800,50
    +2,50 (+0,14%)
     
  • BTC-USD

    17.215,83
    +379,94 (+2,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    405,74
    +11,05 (+2,80%)
     
  • S&P500

    3.960,41
    +26,49 (+0,67%)
     
  • DOW JONES

    33.727,91
    +129,99 (+0,39%)
     
  • FTSE

    7.472,17
    -17,02 (-0,23%)
     
  • HANG SENG

    19.450,23
    +635,41 (+3,38%)
     
  • NIKKEI

    27.574,43
    -111,97 (-0,40%)
     
  • NASDAQ

    11.657,25
    +147,75 (+1,28%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5046
    +0,0382 (+0,70%)
     

Pesquisas sobre indústria e serviços da China sugerem dificuldade de recuperação

Fábrica da SMC em Pequim

PEQUIM (Reuters) - A atividade industrial da China registrou crescimento em setembro, mas uma desaceleração na expansão do setor de serviços e uma pesquisa privada sobre a manufatura apontaram para um arrefecimento ainda maior à medida que a economia lida com as restrições contra a Covid-19 e o enfraquecimento da demanda global.

O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) oficial da indústria da China subiu de 49,4 em agosto para 50,1 em setembro, informou nesta sexta-feira a Agência Nacional de Estatísticas, superando as expectativas.

O retorno do índice ao crescimento, após dois meses de contração, foi ajudado pelas recentes medidas de flexibilização, mas a pesquisa privada do Caixin mostrou que a atividade das fábricas caiu mais rapidamente em setembro e a pesquisa oficial apontou forte desaceleração no crescimento da atividade do setor de serviços.

Sinais de que a segunda maior economia do mundo está lutando para recuperar a tração, depois de evitar por pouco uma contração no segundo trimestre, podem aumentar as preocupações sobre uma recessão global, no momento em que os principais bancos centrais embarcam na rodada mais agressiva de aumentos dos juros em décadas.

"As pesquisas sugerem que a economia da China continuou a perder impulso em setembro, com a retração global pesando sobre as exportações e os problemas causados pelo vírus dando um novo golpe na atividade de serviços", disse Zichun Huang, economista da Capital Economics, em uma nota.

A pesquisa oficial de indústria da China mostrou que a atividade cresceu marginalmente em setembro, superando as expectativas para uma leitura de 49,6 em pesquisa da Reuters, ao ficar acima da marca de 50 que separa contração do crescimento. O governo chinês implementou mais de 50 medidas desde o final de maio.

A pesquisa oficial mostrou que o PMI não-industrial caiu para 50,6 em setembro de 52,6 em agosto. O PMI Composto oficial, que inclui indústria e serviços, recuou de 51,7 para 50,9.

A pesquisa privada do Caixin, também divulgada nesta sexta-feira, mostrou que a atividade industrial contraiu a um ritmo mais acentuado em setembro, com índices de produção, novos pedidos e emprego em queda devido à demanda fraca. O PMI do Caixin, que cobre empresas menores, orientadas à exportação, foi de 49,5 em agosto para 48,1 em setembro.

(Reportagem de Ellen Zhang e Ryan Woo)