Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.591,41
    -172,59 (-0,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.435,45
    +140,65 (+0,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    111,93
    +0,17 (+0,15%)
     
  • OURO

    1.819,60
    -1,60 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    20.237,94
    -517,08 (-2,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    441,05
    -9,01 (-2,00%)
     
  • S&P500

    3.821,55
    -78,56 (-2,01%)
     
  • DOW JONES

    30.946,99
    -491,31 (-1,56%)
     
  • FTSE

    7.323,41
    +65,09 (+0,90%)
     
  • HANG SENG

    22.418,97
    +189,47 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    27.049,47
    +178,17 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    11.695,00
    +20,75 (+0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5428
    +0,0013 (+0,02%)
     

Pesquisadores registram o maior flash de impacto em Júpiter desde 1994

Em outubro do ano passado, um estudo liderado pela Kyoto University observou um grande impacto na atmosfera de Júpiter . Agora, o mesmo grupo de pesquisadores confirma que a causa foi o impacto com um asteroide, que produziu o maior flash de impacto no planeta desde que o cometa Shoemaker-Levy o atingiu em 1994.

Os flashes produzidos por impactos em outros planetas acontecem da mesma maneira que na Terra, mas apenas os mais brilhantes podem ser observados a longas distâncias — e eles podem ajudar a compreender o que nosso planeta enfrentaria no caso de uma colisão parecida.

O impacto foi descoberto em 2021 pela Câmera de Observação Planetária para Pesquisas de Transientes Ópticos (PONCOTS), um pequeno telescópio dedicado a buscar flashes na atmosfera de Júpiter. "Esta é a primeira detecção por um telescópio dedicado", explicou Ko Arimatsu, principal autor do trabalho.

Como o evento foi observado por um telescópio dedicado a este propósito, os pesquisadores conseguiram coletar uma série de dados sobre ele. A equipe descobriu que o impacto liberou uma energia equivalente a 2 milhões de toneladas de TNT.

A partir desta energia, os pesquisadores estimaram que a rocha espacial tinham uma massa em torno de 4 mil toneladas. O flash liberado atingiu uma temperatura de 8.000 ºC. Na Terra, o impacto causaria grande destruição.

O trabalho também descobriu que a taxa esperada para impactos deste tipo em Júpiter é de cerca de uma vez a cada ano ou de 100 a 1.000 vezes mais frequente do que em nosso planeta.

O trabalho foi publicado no repositório online arXiv.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos