Mercado abrirá em 6 h 23 min
  • BOVESPA

    113.430,54
    +1.157,53 (+1,03%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.564,27
    +42,84 (+0,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,14
    +0,27 (+0,34%)
     
  • OURO

    1.942,20
    -3,10 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    23.162,26
    +292,09 (+1,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    524,33
    +5,54 (+1,07%)
     
  • S&P500

    4.076,60
    +58,83 (+1,46%)
     
  • DOW JONES

    34.086,04
    +368,95 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.771,70
    -13,17 (-0,17%)
     
  • HANG SENG

    21.901,88
    +59,55 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    27.354,36
    +27,25 (+0,10%)
     
  • NASDAQ

    12.107,50
    -44,50 (-0,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5187
    +0,0031 (+0,06%)
     

Pesquisadores descobrem nova estrutura do cérebro humano

Um estudo publicado na revista Science revelou a descoberta de uma nova estrutura no cérebro: a SLYM (do inglês Subarachnoid Membrane Lymph Type, que na tradução fica Membrana Subaracnoide do Tipo Linfático). Trata-se de uma barreira protetora, capaz de monitorar infecções e inflamações.

Conforme aponta o artigo, a estrutura fica localizada dentro do espaço subaracnoideo, uma abertura entre duas membranas chamadas pia-máter e aracnoide — tecidos que criam uma barreira entre o sistema nervoso central e o resto do corpo. O espaço é preenchido com líquido cefalorraquidiano, que ajuda a amortecer o cérebro e atua como uma fonte de nutrientes.

A toeria dos pesquisadores é que a SLYM age justamente como uma barreira entre o líquido cefalorraquidiano que entra no cérebro e o que sai do órgão, arrastando resíduos de proteínas. Isso quer dizer que uma deterioração dessa membrana atrapalha a limpeza do cérebro e impacta negativamente a função neuronal.

“A descoberta de uma nova estrutura anatômica que segrega e ajuda a controlar o fluxo de líquido cefalorraquidiano dentro e ao redor do cérebro agora nos fornece uma apreciação muito maior do papel sofisticado que o líquido desempenha não apenas no transporte e remoção de resíduos do cérebro, mas também no suporte de suas defesas imunológicas”, apontam os pesquisadores.

Estudo revela nova estrutura do cérebro humano (Imagem: Anna Shvets/Envato)
Estudo revela nova estrutura do cérebro humano (Imagem: Anna Shvets/Envato)

É possível entender, então, que a SLYM exerce um papel importante para as defesas do cérebro. O sistema nervoso central mantém sua própria população nativa de células imunológicas, e a integridade da membrana impede a entrada de células imunológicas externas.

Além disso, os pesquisadores dissertam que a descoberta da SLYM abre as portas para um estudo mais aprofundado de seu papel nas doenças cerebrais. O grupo observa que concentrações maiores e mais diversas de células imunes se reúnem na membrana durante a inflamação e o envelhecimento. Quando a membrana é rompida durante uma lesão cerebral traumática, a interrupção resultante no fluxo de LCR prejudica o sistema glinfático e permite que células imunes do sistema nervoso periférico entrem no cérebro.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: