Mercado fechará em 6 h 9 min
  • BOVESPA

    129.632,11
    +118,49 (+0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.598,54
    +40,22 (+0,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,58
    +0,28 (+0,38%)
     
  • OURO

    1.788,30
    +11,60 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    33.090,43
    -878,72 (-2,59%)
     
  • CMC Crypto 200

    794,55
    -48,10 (-5,71%)
     
  • S&P500

    4.275,81
    +9,32 (+0,22%)
     
  • DOW JONES

    34.369,88
    +173,06 (+0,51%)
     
  • FTSE

    7.129,76
    +19,79 (+0,28%)
     
  • HANG SENG

    29.288,22
    +405,76 (+1,40%)
     
  • NIKKEI

    29.066,18
    +190,95 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    14.373,50
    +19,25 (+0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,8784
    +0,0161 (+0,27%)
     

Pesquisadora voará com a Virgin Galactic para realizar experimentos no espaço

·3 minuto de leitura

Nesta quinta-feira (3), a Virgin Galactic anunciou um contrato de voo com a pesquisadora Kellie Gerardi, do International Institute for Astronautical Sciences (IIAS), para realizar experimentos focados em tecnologias para a saúde. Agora, as equipes da Virgin Galactic e do IIAS vão trabalhar no planejamento das atividades do voo de Gerardi, para garantir o máximo de aproveitamento dos experimentos durante o voo.

Kellie será a especialista de cargas úteis da missão. No voo, ela vai realizar as ações necessárias para trabalhar nos experimentos durante os minutos que simulam a sensação da ausência da gravidade — entre os experimentos, está a instrumentação de biomonitoramento com um sistema de sensores, que foi criado pela startup Hexoskin e Agência Espacial Canadense. Trata-se de um dispositivo desenvolvido para mensurar os efeitos biológicos das diferentes etapas dos voos espaciais no corpo dos astronautas, como o lançamento e a reentrada.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

A outra parte da pesquisa envolve um experimento de configuração de fluido de flutuação livre, cujos dados poderão ser usados para o desenvolvimento de novas tecnologias, que podem ser sistemas de acelerômetros baseados em fluidos e até umidificadores para sistemas de suporte à vida em espaçonaves, além de novos designs de seringas para o uso de medicamentos no espaço. A Virgin Galactic fornecerá todo o treinamento e preparação necessários para Girardi realizar os experimentos e demais atividades necessárias.

Michael Colglazier, CEO da Virgin Galactic, comentou que a empresa está muito satisfeita em trabalhar com Gerardi e o IIAS para realizar pesquisas na área da biomedicina: "um dos aspectos únicos do nosso sistema de voo é que há um piloto, ou seja, podemos realizar diferentes perfis de voo para atender as necessidades dos nossos passageiros — sejam experimentos científicos ou pessoas — e, neste caso, são ambos”, explicou, ressaltando a missão da Virgin Galactic de levar o acesso frequente e confiável ao espaço para cientistas e pesquisadores.

Gerardi já esteve várias vezes em voos parabólicos, nos quais as aeronaves sobem até altas altitudes e conseguem simular brevemente a gravidade reduzida do ambiente espacial. Contudo, esta será a primeira viagem dela ao espaço propriamente dito: “a oportunidade de voar como especialista de cargas úteis em um voo da Virgin Galactic é única, e não há honra maior do que ter um lugar na primeira fileira para a fronteira final”, disse. “Sou grata à IIAS pelo suporte e confiança que depositam em mim, e espero ajudar a abrir o caminho para muitos pesquisadores talentosos que com certeza virão”.

A Virgin Galactic já incluiu missões parecidas anteriormente em seu cronograma, incluindo um voo dedicado para Alan Stern, que foi o principal investigador da missão New Horizons e é o cientista que irá realizar experimentos representando a NASA e o Southwest Research Institute.

Muitos dos esforços realizados pela empresa são direcionados aos voos de turismo espacial para astronautas privados; assim, o voo de Gerardi mostra o potencial que a Virgin Galactic tem, e que pode beneficiar estudos realizados na "gravidade zero".

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos