Mercado fechará em 4 h 13 min
  • BOVESPA

    113.893,42
    +381,04 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.557,01
    -244,67 (-0,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,83
    +0,30 (+0,35%)
     
  • OURO

    1.777,60
    -12,10 (-0,68%)
     
  • BTC-USD

    23.407,01
    -458,88 (-1,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    555,23
    -17,58 (-3,07%)
     
  • S&P500

    4.255,86
    -49,34 (-1,15%)
     
  • DOW JONES

    33.844,99
    -307,02 (-0,90%)
     
  • FTSE

    7.515,23
    -20,83 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    19.922,45
    +91,93 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    29.222,77
    +353,86 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    13.442,00
    -216,25 (-1,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2560
    +0,0242 (+0,46%)
     

Pesquisadora sofre violência sexual no metaverso

Metaverso: pesquisadora denuncia caso de violência sexual no Horizon Worlds
Metaverso: pesquisadora denuncia caso de violência sexual no Horizon Worlds
  • Metaverso: caso foi denunciado pela organização sem fins lucrativos SumOfUs;

  • A jovem foi conduzida a uma sala privada em uma festa na plataforma da Meta;

  • Ela alegou que seu avatar foi estuprado por um usuário enquanto outro assistia

Uma pesquisadora de de 21 anos sofreu violência sexual no metaverso enquanto participava de um experimento no Horizon Worlds da Meta. O caso foi denunciado em um relatório feito pela organização sem fins lucrativos SumOfUs.

O relatório intitulado “Metaverso: outra fossa de conteúdo tóxico” mergulha profundamente nas alegações da vítima que foi “praticamente estuprada por gangues”, discurso de ódio e questões de moderação de conteúdo na Meta, a controversa marca do Facebook Inc.

A jovem, que trabalha como pesquisadora do grupo, foi conduzida a uma sala privada em uma festa no “Horizon Worlds”, uma plataforma metaverso lançada pela Meta em dezembro passado nos EUA e Canadá que permite que usuários se reúnam com outros, joguem jogos e construir seus próprios mundos virtuais.

Ela alegou que seu avatar foi estuprado por um usuário enquanto outro assistia e distribuía uma garrafa virtual de vodka – e outros podiam ser vistos assistindo através de uma janela.

Apesar do episódio de violência sexual ter acontecido no metaverso, a pesquisadora relata ter ficado chocada com o acontecido e precisou lembrar por algumas vezes que aquilo não tinha ocorrido com ela fisicamente e sim em um ambiente virtual.

Além de pedir a que a Meta investigue o caso e tome providências para evitar novos casos de violência sexual no metaverso, a SumOfUs, através de sua diretora de campanhas, Vicky Wyatt, afirmou que casos como esse podem trazer impactos reais na vida das vítimas.

Uma ferramenta que define um distanciamento de 1,2 metro entre avatares que não fazem parte da sua lista de amigos, é chamada dentro do metaverso de “Limite Pessoal”. Mas segundo o relato, o recurso não estava ativado no momento do acontecido.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos