Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.801,21
    -1.775,35 (-1,44%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.195,43
    -438,48 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,27
    +0,12 (+0,18%)
     
  • OURO

    1.813,20
    -1,30 (-0,07%)
     
  • BTC-USD

    39.799,30
    +1.357,82 (+3,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    981,48
    +54,71 (+5,90%)
     
  • S&P500

    4.402,66
    -20,49 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    34.792,67
    -323,73 (-0,92%)
     
  • FTSE

    7.123,86
    +18,14 (+0,26%)
     
  • HANG SENG

    26.426,55
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    27.697,20
    +113,12 (+0,41%)
     
  • NASDAQ

    15.095,50
    +22,00 (+0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1178
    -0,0005 (-0,01%)
     

Pesquisa falsa sobre a COVID-19 está sendo usada para roubar contas do WhatsApp

·2 minuto de leitura

Parte do cotidiano brasileiro há mais de um ano, a pandemia provocada pelo COVID-19 já virou há certo tempo a base de diversos golpes que se espalham na internet. Enquanto muitos deles já são conhecidos, uma nova variedade se aproveita de uma iniciativa do Ministério da Saúde para roubar acesso ao WhatsApp das vítimas.

No novo golpe, os criminosos afirmam estar promovendo uma pesquisa sobre a doença e fazem algumas perguntas à vítima por ligação telefônica. Finalizadas as questões, eles solicitam que o alvo confirme a participação informando uma série de números enviados por mensagens de SMS — se o código é fornecido, os golpistas tomam controle completo do perfil da vítima.

Enquanto o Ministério da Saúde realmente está fazendo uma série de pesquisas por telefone, em nenhum momento ele solicita a informação de qualquer código por parte dos participantes. Em outra versão do golpe, os criminosos afirmam ser representantes do Ministério da Saúde interessados em agendar a vacinação e novamente solicitam o código de seis dígitos do WhatsApp para tomar acesso às contas dos alvos.

Imagem: Captura de Tela/Canaltech
Imagem: Captura de Tela/Canaltech

Ações que seguem esse roteiro não são novas: criminosos já usaram outras notícias de alta repercussão, falsos sorteios e promessas de saque do FGTS (entre outros assuntos) para enganar vítimas. Feitas através de ligações e mensagens de texto, elas têm como elemento em comum o objetivo final de coletar as informações que garantem acesso aos perfis do comunicador. Assim que as contas são invadidas, elas podem ser usadas em outros golpes, como o que envolve pedir depósitos urgentes aos contatos próximos.

As tentativas de golpe relacionadas ao COVID-19 foram tantas que, em janeiro deste ano, o Ministério da Saúde emitiu um comunicado em suas redes sociais alertando sobre eles. Na época, o órgão reforçou que não liga para confirmar a vacinação, tampouco solicita confirmações de códigos enviados por mensagens de SMS.

Para se proteger, o ideal é ignorar ligações e qualquer tentativa de contato que solicite o compartilhamento de códigos recebidos por SMS. Caso o contato seja feito diretamente pelo WhatsApp, o ideal é bloquear os criminosos e não responder às suas mensagens. Confira o artigo completo do Canaltech com mais dicas para se proteger dos golpes relacionados à doença que circulam pela internet.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos