Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.123,85
    -3.459,16 (-3,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.925,52
    -673,01 (-1,30%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,50
    -0,79 (-1,05%)
     
  • OURO

    1.734,00
    -3,50 (-0,20%)
     
  • BTC-USD

    41.684,57
    -1.440,51 (-3,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.033,22
    -23,93 (-2,26%)
     
  • S&P500

    4.352,63
    -90,48 (-2,04%)
     
  • DOW JONES

    34.299,99
    -569,38 (-1,63%)
     
  • FTSE

    7.028,10
    -35,30 (-0,50%)
     
  • HANG SENG

    24.500,39
    +291,61 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.183,96
    -56,10 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.774,50
    +9,75 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3421
    -0,0005 (-0,01%)
     

Pesquisa da CNI aponta queda no medo de perder emprego

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A pesquisa da CNI (Confederação Nacional da Indústria) que acompanha o medo do brasileiro de perder o emprego, que chegou a 48% em maio do ano passado, após o início da pandemia, agora segue trajetória de queda.

O indicador, que tinha caído para 45% em julho de 2020 e 41% em abril deste ano, agora está em 36%.

Entre as mulheres, o receio do desemprego é maior (44%) do que entre os homens (29%).

Também é alto entre os que têm escolaridade e renda mais baixas, segundo a CNI. O patamar é de 55% para os brasileiros com renda familiar até um salário mínimo e 11% entre os que têm acima de cinco salários.

Para quem fez o ensino fundamental, o medo do desemprego atinge 45%, ante 29% dos com ensino superior.

O sentimento é mais forte no Nordeste (47%), seguido pelo Sudeste (35%), Norte e Centro-Oeste (30%) e Sul (27%), de acordo com a pesquisa, que ouviu 2 mil pessoas por telefone entre 12 e 16 de julho e tem margem de erro de dois pontos percentuais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos