Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.877,70
    -53,10 (-2,75%)
     
  • BTC-USD

    22.978,39
    -446,71 (-1,91%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Pesquisa do BCE mostra moderação nas expectativas de inflação

BCE

FRANKFURT (Reuters) - As expectativas dos consumidores da zona do euro para a inflação finalmente caíram em novembro, encerrando uma série prolongada de aumentos depois que os preços crescentes de alimentos e energia tornaram a vida cotidiana mais cara, mostrou uma pesquisa do Banco Central Europeu nesta quinta-feira.

A inflação atingiu dois dígitos no final do ano passado, mas agora parece ter atingido o pico e o foco do BCE está lentamente mudando de conter seu aumento para a velocidade com que pode levá-la de volta à sua meta de 2%.

A mediana das expectativas de inflação nos próximos 12 meses caíram para 5% em novembro, de 5,4% no mês anterior, enquanto as expectativas de crescimento de preços três anos à frente caíram para 2,9%, de 3%, disse o BCE com base em uma pesquisa com cerca de 14.000 adultos em seis dos maiores países da zona do euro.

Indicando grande dispersão nas respostas, a expectativa média para o próximo ano ficou em 7,3%, porém, bem acima da mediana.

As projeções do BCE preveem que o aumento dos preços caia para 3,6% no último trimestre de 2023, mas a desinflação diminuirá drasticamente e o banco não atingirá sua meta de 2% até o segundo semestre de 2025.

Expectativas de inflação melhores surgem no momento em que os consumidores também estão mais otimistas sobre a economia da zona do euro.

Eles agora veem contração da atividade de 2% nos próximos 12 meses, ante uma retração de 2,6% observada em outubro, de acordo com a estimativa média. Enquanto isso, a mediana permaneceu em -0,1%.

(Reportagem de Balazs Koranyi)